Eleição da Fifa tem protestos e invasão da pró-Palestina

29/05/2015 at 16:55 (*Liberdade e Diversidade, Hermano de Melo) (, , , , , )

fifafifa 2fifa3(1) Protestos em Zurique ironizaram e pediram saída de Blatter (Foto: Michael Buholzer / AFP)

(2) Manifestantes pró-Palestina fizeram barulho em Zurique (Foto: Ennio Leanza / EFE)

(3) Eleição da Fifa teve protesto de manifestantes pró-Palestina em Zurique (Foto: Michael Buholzer / AFP)

29 MAI 2015

Fabrice Coffrini / AFP / Terra

Agência EFE

Em meio a escândalo de corrupção , o 65º Congresso da Fifa teve início nesta sexta-feira com manifestações do lado de fora do teatro em que o evento é realizado, em Zurique, na Suíça. Os atos foram contra as condições de trabalho nas obras para a Copa do Mundo no Catar e também em prol dos palestinos, que pediam a suspensão da seleção de Israel.

Uma simpatizante da Palestina chegou a invadir o local em que o Congresso é realizado, dizendo que a Fifa merece receber o cartão vermelho. O presidente da entidade, Joseph Blatter, que concorre à reeleição nesta reunião, pediu para que os seguranças a retirassem.

A Associação de Futebol Palestina pedia uma votação sobre a suspensão da Associação de Futebol de Israel. O motivo? Israel não quer tirar de sua liga as cinco equipes das colônias judias nos territórios palestinos ocupados.

A federação da Palestina, contudo, retirou o pedido de suspensão algumas horas depois. Isto porque o Congresso da Fifa aprovou, em votação, a criação de um mecanismo que garantirá que Israel não colocará obstáculos ao futebol palestino e que analisará a participação de equipes de colônias judaicas no futebol do país.

FA Presidents of Israel and Palestine shake hands @ #FIFACongresspic.twitter.com/4RO17gKPr1

— FIFA Media (@fifamedia) 29 maio 2015

Do lado de fora, o evento continuou sendo alvo de contestação, inclusive com faixas de pessoas que se agruparam em frente ao local. No ano passado, antes da Copa do Mundo, o Congresso da Fifa em São Paulo também teve manifestação pró-Palestina em frente ao evento.

Já a manifestação deste ano tem como alvo também as condições dos trabalhadores no Catar, onde será realizado o Mundial de 2022. Os protestos acontecem em um momento de tensão para a Fifa, que se vê envolta a um escândalo de corrupção, inclusive com sete dirigentes detidos na Suíça, entre eles o ex-presidente da CBF, José Maria Marin.

Discurso de Blatter

O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, pediu nesta sexta-feira que as associações nacionais de futebol “cerrem fileiras” nestes tempos difíceis vividos pela organização devido aos escândalos de corrupção envolvendo membros da cúpula da entidade, como ex-presidente da CBF José Maria Marin.

“Os eventos dessa semana causaram uma tempestade. Há uma sombra sobre o futebol e sobre esse Congresso por causa dos eventos que ocorreram. Não podemos deixar que a reputação da Fifa seja jogada na lama. Eu falei sobre mudanças, devemos cerrar fileiras e seguir em frente”, disse Blatter aos delegados durante a apresentação do relatório de seu mandato, que termina hoje.

during the 65th FIFA Congress at the Hallenstadion on May 29, 2015 in Zurich, Switzerland.

Blatter during the 65th FIFA Congress at the Hallenstadion on May 29, 2015 in Zurich, Switzerland.

Joseph Blatter discursa durante o 65º Congresso da Fifa (Foto: Mike Hewitt / Getty Images)

Blatter se referiu diretamente aos casos de corrupção que afetam a Fifa, revelados dois dias antes do Congresso anual, e explicou que modificou seu relatório para levar em conta estes últimos acontecimentos, aos quais, indiretamente, dedicou praticamente todo seu discurso.

Sobre essa questão, o dirigente reiterou o que já havia dito anteriormente: “Aceito que o presidente da Fifa é o responsável de tudo. Quero compartilhar esta responsabilidade com vocês ou, pelo menos, com o Comitê Executivo, mas não podemos controlar permanentemente todos os que estão no futebol. Os culpados são indivíduos e não o conjunto da organização”, enfatizou.

SAIBA MAIS:

Mais um! ONU fará revisão de convênios de parceria com Fifa

Entenda tudo sobre o escândalo de corrupção na Fifa

Novidade? Fifa é alvo de diversas denúncias há duas décadas

Blatter indica arrependimento por Rússia e Catar como sedes

Blatter assume parcela de culpa e não quer Fifa “na lama”

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Charge do Claudius na “Caros Amigos”: Proteção em debates

19/08/2014 at 21:49 (*Liberdade e Diversidade) (, , , , , , )

Charge do Claudius - caros amigos*Charge de Claudius na “Caros Amigos” deste mês (Nº 209). Mas será que será preciso esse aparato todo nos debates entre os candidatos? 

*****

Link permanente Deixe um comentário

Bachelet e Mathei disputam eleições no Chile

18/11/2013 at 10:23 (*Liberdade e Diversidade) (, , , )

Bachelet e Matthei, colegas de infância, se enfrentarão no segundo turno

18/11/2013

Por Santiago (AFP), AFP

Bachelet e Mathei vão para o segundo turno

A ex-presidente socialista Michelle Bachelet e a ex-ministra do Trabalho, Evelyn Matthei compartilharam a infância na base militar onde suas famílias viviam. AFP/Arquivos

Quase 55 anos depois, ambas se enfrentarão em um inédito segundo turno no dia 15 de dezembro, quando pela primeira vez duas mulheres se enfrentam no Chile, com projetos diametralmente distintos e uma história trágica comum que tem seus pais como protagonistas.

Bachelet, de 62 anos, venceu Matthei, sua vizinha de infância, por 46% dos votos no primeiro turno deste domingo frente a 25% da candidata de direita, de 60 anos, a que as pesquisas anteriores atribuíam 10 pontos a menos.

Quando Michelle Bachelet tinha seis anos e Evelyn quatro, passeavam juntas de bicicleta pela base aérea de Cerro Moreno, na cidade de Antofagasta, no norte do Chile. Suas famílias viviam quase em frente e seus pais eram bons amigos, mas o golpe de Estado que instaurou a ditadura de Augusto Pinochet, em 1973, deu uma quinada em suas vidas.

Alberto Bachelet foi preso nesse mesmo dia e torturado até a morte por se manter fiel ao governo de Salvador Allende. Fernando Matthei era o encarregado do local onde ficou preso e depois fez parte da junta militar do regime. “A corrida presidencial chilena tem esses componentes tão dramáticos e incríveis, como o de duas crianças que brincaram juntas nos anos 50 depois que se transformaram em candidatas de lados opostos”, disse à AFP a jornalista Rocío Montes, co-autora do livro ‘Filhas de General’, que aprofunda a história de ambas as candidatas. Alguém dizia que um dos grandes mistérios da política chilena é ver se isso é casual ou fruto da história, acrescenta a autora.

Uma amizade posta à prova

Bachelet e Matthei não foram grandes amigas como seus pais chegaram a ser. Eles compartilhavam o gosto pela música e o esporte.”Nos surpreendemos ao nos dar conta que não só eram conhecidos dentro da Força Aérea, não só eram amigos, mas que eram os melhores amigos dentro da instituição”, acrescenta Montes.

Apesar de elas terem personalidades diferentes, a vida em uma base militar as leva a ter traços comuns, como o sentido de ordem, dever e o amor pelos estudos. A morte de Bachelet pai, em março de 1974 após meses de prisão e torturas, marcou profundamente sua filha Michelle e a levou a atuar na política que hoje a vê como a mais provável vencedora das próximas eleições, após um primeiro período presidencial, entre 2006 e 2010, quando se transformou na primeira mulher a chegar à presidência do Chile.

Fernando Matthei era diretor da Academia de Guerra onde ficou detido o general Bachelet, mas não teve responsabilidade sobre que estiveram detidos ali, segundo determinou a justiça e a convicção que se formou a própria família Bachelet.

De fato sua viúva, Angela Jeria, defendeu Matthei publicamente. “Ela (Jeria) o defende, porque se convence de que ele não tinha a hierarquia, o cargo e a responsabilidade sobre a morte de seu marido”, disse Nancy Castillo, outra autora do livro “Filhas do general”.

Evelyn Matthei foi para Londres junto com o pai para o golpe de Estado, onde aperfeiçoou seus estudos de piano e, depois, no Chile, estudou economia. Até o final da ditadura de Pinochet, na década de 80, se transformou em uma ativa militante política de um dos partidos que apoiavam a ditadura. Na democracia, teve uma frustrada tentativa de disputar a presidência em 1993 junto com o hoje presidente Sebastián Piñera, com o qual se viu envolta em um caso de escuta telefônica que derrubou momentaneamente a corrida política de ambos.

Logo Evelyn se transformou em deputada e mais tarde, chegou ao Senado. Piñera então a convidou para integrar seu gabinete como ministra do Trabalho, posto que ocupava ao ser nomeada como candidata única da direita, após a renúncia de Pablo Longueira, vencedor das primárias, diagnosticado com depressão.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Invasão da reitoria da UFMS continua

04/09/2013 at 10:16 (*Liberdade e Diversidade) (, , , , )

Reitoria invadidaInvasão na reitoria da UFMS marca com força retorno dos protestos

04/09/2013

DA REDAÇÃO / Correio do Estado

Reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul está ocupada desde a última sexta-feira

A onda de protestos que tomou conta das ruas da Capital voltou demostrando força neste início de setembro. Grupo de manifestantes promete ocupar nessa quinta-feira, por tempo indeterminado, o prédio da Câmara dos Vereadores. Na Universidade Federal de MS (UFMS) a situação não é diferente, o prédio da reitoria foi ocupado na última sexta-feira (30), por grupo de 50 acadêmicos. No próximo dia 7, manifestantes prometem protestar, segundo reportagem na edição de hoje (04) do jornal Correio do Estado.

O movimento “Ocupa Câmara se Preciso for” está sendo organizada via internet com participação do grupo Anonymous – um dos principais articuladores dos protestos no País. Por meio de nota, os simpatizantes argumentam que a decisão foi tomada por descumprimento à Lei da Transparência.

UFMS

Os acadêmicos que ocupam a sede da reitoria da UFMS, entregaram na tarde de ontem, uma carta reivindicatória para a reitora Célia Maria Silva Corrêa Oliveira. Na carta, eles pedem também uma reunião com ela. A reportagem é de Rafael Bueno.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Maduro vence eleições na Venezuela

15/04/2013 at 11:04 (*Liberdade e Diversidade, Hermano de Melo) (, , , , )

Maduro vence eleições na Venezuela

Em uma vitória apertada, o ex-vice de Hugo Chávez, Nicolás Maduro, venceu as eleições presidenciais na Venezuela. Na imagem, ele comemora o resultado com sua mulher, Cilia Flores, durante ato na capital Caracas. Após perder por uma diferença de apenas 230 mil votos, o opositor Henrique Capriles pediu investigações e a recontagem dos votos.

*****

Link permanente Deixe um comentário