EUA retiram Cuba de lista de países que patrocinam o terrorismo

29/05/2015 at 12:59 (*Liberdade e Diversidade) (, , , , , , , , )

cuba e obama

29/05/2015

Istoé dinheiro

O governo dos Estados Unidos retirou formalmente a partir desta sexta-feira (29) Cuba da lista do Departamento de Estado de países que promovem o terrorismo, informou o Departamento de Estado em uma nota oficial.

“O prazo de 45 dias de notificação ao Congresso expirou, e o Secretário de Estado tomou a decisão final de rescindir a designação de Cuba como Estado Patrocinador do Terrorismo, que se torna efetiva hoje, 29 de maio”, expressou o porta-voz do Departamento de Estado, Jeff Rathke, em sua nota.

De acordo com o Departamento de Estado, os Estados Unidos têm “preocupações e divergências significativas” com Cuba em diversos assuntos, mas que estão “fora dos critérios relevantes à rescisão” de sua designação para a polêmica lista.

A saída de Cuba da lista – na qual fazia companhia a Irã, Síria e Sudão – “reflete nossa convicção de que Cuba reúne os critérios” para ser excluída.

Cuba, afirmou a nota, “não forneceu nenhum suporte ao terrorismo internacional nos últimos seis meses” e, além disso, “forneceu garantias de que não apoiará atos de terrorismo no futuro”.

A medida exigirá ainda a publicação da medida no diário oficial americano, o Federal Register, mas a chancelaria de Washington deixou claro que a remoção de Cuba desta lista se torna efetiva imediatamente.

Cuba havia sido incluída nesta lista em 1982, sob o argumento de que servia de santuário a militantes da organização basca ETA e oferecia suporte à guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

*****

Link permanente Deixe um comentário

Terrorismo contra índios

03/06/2013 at 11:24 (*Liberdade e Diversidade, Hermano de Melo) (, , , , , , )

Cacique Terena Argeu Reginaldo-Não somos cachorros

Terenas relatam o terrorismo que estão vivendo em MS – (02 de junho 2013)

Nos últimos dias o Brasil parou e voltou os seus olhos para Mato Grosso do Sul, por causa do conflito entre indígenas e forças policiais na fazenda Buriti, no município de Sidrolândia, muito se noticiou a respeito, mas poucos veículos de imprensa realmente retrataram a dor e o terrorismo que os terenas estão vivenciando neste conflito.

* Por Karina Vilas Bôas*, para o Portal Vermelho

São mais de 13 anos de luta, com estudo antropológico, que confirmam que de fato as terras são dos terenas.
Por isso os movimentos sociais se uniram, tiveram a ideia de lançar a “outra face da história” e após conseguirmos colher vários materiais, estamos retratando um pouco dessa grande história de luta pela terra em um Estado latifundiário, onde a concentração de riqueza nas mãos de poucos, faz com que a desigualdade seja cada vez maior.

Leia também:
“Eles nos consideram animais, bichos, não têm respeito”

A fazenda Buriti está em área reivindicada pelos índios em um processo que se arrasta há 13 anos. A terra indígena Buriti foi reconhecida em 2010 pelo Ministério da Justiça como de posse permanente dos índios da etnia terena. A área de 17,2 mil hectares foi delimitada, e a portaria foi publicada no Diário Oficial da União. Mas até hoje a Presidência da República não fez a homologação. O relatório de identificação da área foi aprovado em 2001 pela presidência da Funai (Fundação Nacional do Índio), mas decisões judiciais suspendem o curso do procedimento demarcatório.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Drones: armas invisíveis

23/05/2013 at 22:07 (*Liberdade e Diversidade, Hermano de Melo) (, , , , )

drone

Drones invisíveis: a nova arma americana para combater o terror

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu, nesta terça-feira, o uso de drones na guerra contra o terrorismo. Em seu discurso anual sobre segurança nacional, o líder americano disse que a tecnologia dos aviões não tripulados, apesar de levantar questões, são efetivas. “Esses ataques têm salvado vidas”, disse o presidente. Obama defende droneObama iniciou sua fala dizendo que o terrorismo ainda ameaça os Estados Unidos, mas afirmou que talvez a guerra esteja mudando ao envolver o uso de novas tecnologias. “Da Guerra Civil, passando pelo nosso esforço contra o fascismo e chegando à Guerra Fria, os campos de batalha mudaram, e as tecnologias evoluíram”, disse, fazendo questão de enfatizar que hoje Osama Bin Laden está morto e os Estados Unidos estão mais seguros desde o 11/9. “Nosso país está mais seguro”.

“Esses ataques salvaram vidas. Eles são legais. Os EUA estão em guerra contra a Al-Qaeda”, disse o líder, ponderando que essa nova tecnologia “levanta profundas questões”. “Sempre preferimos deter, interrogar e processar”, continuou, para em seguida acrescentar que operações militares convencionais têm um preço muito mais alto. “Se nós invadirmos, ocuparmos os países onde estamos usando drones, muito mais pessoas irá morrer. Esta é a escolha? Nós estamos escolhendo agir de maneira a resultar em menos perdas de vidas inocentes”, disse. “Não fazer nada não é uma opção”.
Ontem, os Estados Unidos reconheceram pela primeira vez terem matado cidadãos americanos em ataques usando drones. Em carta enviada ao Congresso pelo procurador-geral Eric Holder, disse que três das quatro mortes ocorreram em ataque de drones da CIA no Iêmen, em 2011: Samir Khan, Anwar AL-Awlaki e um jovem de 16 anos. O quatro – Jude Kennan Mohammad, natural da Flórida – foi assassinado no Paquistão, em uma operação até então desconhecida. Hoje, Obama justificou a morte de Anwar AL-Awlaki. “Ele estava continuamente tentando matar pessoas”. (Site Terra, 23 de Maio de 2013)

*****

Link permanente Deixe um comentário