Imagem mostra momento de resgate de ocupantes de avião na Capital

24/05/2015 at 22:25 (*Liberdade e Diversidade)

resgate de vítimas do acidente de avião - Luciano HuckOcupantes passam por atendimento médico e estão todos sem ferimentos graves

DA REDAÇÃO

24 de Maio de 2015 | 13h48

Imagem mostra momento em que militares do Corpo de Bombeiros retiram ocupantes do avião que fez pouso forçado na manhã deste domingo em Campo Grande. O avião da MS Táxi Aéreo transportava o piloto, Osmar Frattini, o copiloto José Flávio de Souza Zanatto, 30 anos, o apresentador Luciano Huck, sua esposa Angélica, os filhos do casal, Eva, Joaquim e Benício e duas babás.

Todos passam por exames na Santa Casa de Campo Grande e ninguém se feriu gravemente.

Saiba Mais

Luciano Huck e Angélica são atendidos pelo SUS e estão com suspeita de fratura

“Tiveram muita sorte, foi um milagre” diz bombeiro sobre acidente com Huck

Luciano Huck, Angélica e filhos estavam em avião que fez pouso forçado

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Califórnia decreta estado de emergência após vazamento na costa de Santa Barbara

24/05/2015 at 22:08 (*Liberdade e Diversidade)

california 121/05/2015

Dutch Weller / Terra

Rompimento de oleoduto joga cerca de 80 mil litros de petróleo no oceano e gera mancha de 14 quilômetros de extensão. Desastre ocorre perto de santuário marinho e pode pôr em risco mais de 80 espécies.

O governador Jerry Brown decretou estado de emergência na Califórnia devido ao vazamento, que continua nesta quinta-feira (21/05), em um oleoduto na costa de Santa Barbara. Estima-se que 80 mil litros de petróleo tenham chegado ao oceano.

“Nós faremos tudo que é necessário para proteger a costa da Califórnia”, declarou Brown. Segundo ele, a medida foi tomada para agilizar o trabalho de equipes especializadas em limpeza de vazamentos de produtos perigosos.

As primeiras equipes começaram a limpeza da região na quarta-feira. Aproximadamente seis quilômetros da praia foram contaminados com petróleo. No oceano, porém, a mancha chegou a 14 quilômetros de extensão.

Segundo a Plains All American Pipeline, empresa responsável pelo oleoduto, cerca de 400 mil litros de petróleo vazaram, e um quinto do total pode ter alcançado o oceano. A última estimativa divulgada é cinco vezes maior do que o cálculo inicial da companhia.

O vazamento começou no fim da manhã de terça-feira. O oleoduto subterrâneo estourou, e o petróleo derramado se espalhou pela praia de Refugio, avançando em direção ao Pacífico. A empresa detectou irregularidades na pressão do oleoduto às 11h (horário local), e o fluxo do transporte foi interrompido cerca meia hora depois.

california 2Pelicanos ficaram cobertos com petróleo

De acordo com a companhia, o petróleo residual, no entanto, continuou vazando por certo período após o deslizamento. O problema, porém, já foi controlado.

“Não há mais petróleo chegando ao oceano. Lamentamos muito o ocorrido e estamos trabalhando para que o impacto ambiental seja o menor possível”, afirmou a empresa em comunicado.

Impactos ambientais

Ambientalistas estão preocupados com os impactos do desastre. A região atingida pelo vazamento fica perto de um santuário marinho, habitat de 25 espécies de mamíferos e 60 espécies de aves.

Autoridades afirmaram que ainda não é possível saber a exata extensão dos danos. No entanto, imagens mostram aves e animais marinhos cobertos de petróleo. As praias de Refugio e EL Capitan foram fechadas ao público. A pesca e colheita de marisco também foram proibidas na região.

As causas do acidente ainda não são conhecidas. O Centro de Defesa Ambiental, porém, denunciou falhas que podem ter ocasionado o desastre.

“Há uma série de questões abertas, incluindo por que não houve o desligamento automático nesse oleoduto relativamente novo e por que a resposta inicial não foi mais bem sucedida para deter o fluxo”, afirmou o diretor a organização Owen Bailey.

O oleoduto foi construído em 1987 e transporta 1,2 mil barris de petróleo por hora para refinarias no sul do estado.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Em entrevista, Dilma diz que impeachment não tem “base real”

24/05/2015 at 19:43 (*Liberdade e Diversidade)

DilmaPresidente Dilma Rousseff diz não temer impeachment

Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

Presidente afirmou, ainda, considerar que o assunto tem um caráter de luta política contra seu governo

24 MAI 2015

Agência Brasil / Terra

A presidenta Dilma Rousseff disse que não teme o impeachment por entender que não há “base real” para um eventual processo. Dilma afirmou, ainda, considerar que o assunto tem um caráter de luta política contra seu governo. As declarações foram feitas em entrevista ao jornal mexicano La Jornada e divulgadas neste domingo (24) pela Presidência da República.

“O impeachment está previsto na Constituição. Ele é um elemento da Constituição, está lá escrito. Agora, o problema do impeachment é sem base real, e não é um processo, e não é algo, vamos dizer assim, institucionalizado. Eu acho que tem um caráter muito mais de luta política. Ou seja, é muito mais esgrimido como uma arma política. Uma espécie de espada política, mistura de espada e de dama que querem impor ao Brasil”, disse.

E completou: “A mim não atemorizam com isso. Eu não tenho temor disso, eu respondo pelos meus atos. E eu tenho clareza dos meus atos”.

A presidenta, que inicia na segunda-feira (25) a visita oficial ao México, também falou sobre a aproximação entre os Estados Unidos e Cuba, comentou a situação de países da América Latina e destacou a importância da Petrobras.

Dilma afirmou esperar que a aproximação entre Cuba e os Estados Unidos se aprofunde e leve ao completo fim o embargo imposto pelos Estados Unidos. “Eu sei que não depende do Executivo americano, depende do Congresso americano, mas esse será um passo fundamental”, considerou. Em sua avaliação, a aproximação encerra a guerra fria no continente.

Ao falar sobre os vizinhos da América Latina, a presidenta disse que é a favor de que na Venezuela se respeite a ordem democrática por parte do governo e da oposição. Destacou, ainda, que os conflitos e manifestações fazem parte da democracia.

“Não acredito que a democracia engendre situações de paz dos cemitérios. A democracia engendra manifestações de rua, reivindicações, a democracia engendra expressão de descontentamento”, explicou.

Em relação à Petrobras, a presidenta garantiu que a petrolífera é uma empresa poderosa que tem 90 mil funcionários e passou por um processo de investigação na Operação Lava Jato onde quatro funcionários estão sendo acusados de corrupção.

“Ninguém pode falar antes de serem condenados, mas todos os indícios são no sentido de que são responsáveis pelo processo de corrupção”, comentou.

Dilma ficará no México até a quarta-feira (27) e terá agenda extensa, que inclui a assinatura de um acordo para facilitar os investimentos entre os dois países.

Clima de ódio em atos contra Dilma preocupa sociólogo

SAIBA MAIS

Integrantes do MBL são atropelados em marcha contra Dilma

Não pedir impeachment de Dilma é “estratégia”, diz Aécio

Oposição marca reunião por consenso sobre impeachment

Temer considera “impensável” impeachment de Dilma

Pedidos de impeachment são “ação precipitada”, diz FHC

*****

Link permanente Deixe um comentário

Sugestões ao ministro Levy* (Leitura do dia e da noite)

24/05/2015 at 19:12 (*Liberdade e Diversidade)

homem das mil e uma tesourasJohnny Depp em “O homem das mil e uma tesouras” 

guilherme boulosGuilherme Boulos* / Folha de São Paulo

21/05/2015

A presidenta Dilma e o ministro Joaquim Levy anunciaram mais um pacote de corte nos investimentos públicos. Desta vez, a meta é economizar R$ 70 bilhões do orçamento federal, que já havia perdido R$ 22 bilhões nos cortes de janeiro.

Solidário ao esforço fiscal comandado pelo ministro resolvi apresentar aqui sugestões mais ousadas. R$ 70 bilhões é mixaria! Acho que Levy esqueceu as origens, anda meio desenvolvimentista, talvez conversando demais com o Belluzzo. Onde está a sanha neoliberal de outrora? Vamos economizar mais!

Precisamos de um plano mais arrojado, ministro, que pense a economia de recursos públicos na escala dos centenas de bilhões. Há espaço para isso, áreas em que os gastos do Estado brasileiro estão descontrolados. Talvez por desatenção tenham passado à margem do atual plano de contingenciamento.

Comecemos com o tema da sonegação fiscal. Estima-se que a arrecadação em 2014 poderia ter sido R$ 500 bilhões maior não fosse a sonegação de impostos, especialmente por parte das grandes empresas. Olha que filé para ajustar as contas, ministro! Se a Receita Federal e o Ministério da Fazenda organizarem um mutirão nacional de combate à sonegação podemos ganhar aí uns bons bilhões.

Se isso aparenta ser muito trabalhoso, podemos pensar em compensar a sonegação elevada com um imposto sobre as grandes fortunas, que te parece? A taxação progressiva da riqueza já existe na França, em outros países europeus e mesmo na América Latina. Até os Estados Unidos anda discutindo o assunto, ministro.  O economista Amir Khair realizou um estudo em que estima um aumento de arrecadação de R$ 100 bilhões ao ano tributando apenas rendas de mais de R$ 1 milhão. Veja bem, é mais do que os cortes atuais e deixa as MPs no chinelo.

Outra alternativa é em relação aos juros. Baixá-los, é claro. Cada aumento de 0,5% na taxa Selic significa em média ônus de R$ 10 bilhões ao Tesouro, que é quem paga os juros pelos títulos vendidos no mercado. Ora, ministro, se quer economizar de verdade, tem que pedir para o Banco Central baixar os juros, não aumentá-los. Senão fica difícil, daqui a pouco não tem corte no seguro-desemprego que resolva.

Não quero me alongar, mas gostaria de deixar uma última sugestão. Que tal voltarmos o ajuste para a verdadeira enxurrada dos recursos públicos no Brasil? Falo dos gastos com a dívida pública. Em 2013, foram R$ 718 bilhões para os juros e amortização da dívida; em 2014 subiu para R$ 978 bilhões. Não acredita, ministro? Olha aqui. Que belo ajuste daria uma auditoria dessa dívida, hein! Aposto que ganharia uma medalha da turma de Chicago.

E o que é melhor: não precisa nem aprovar lei nova, é só regulamentar. A Constituição de 88 prevê a auditoria da dívida e a taxação das grandes fortunas. Você nem vai precisar ficar aturando o Renan e o Eduardo Cunha, os pedidos do PMDB, coisa e tal.

Bem, caro Levy, espero que estas modestas propostas ajudem no glorioso esforço de ajuste das contas nacionais. A crise é mundial, temos que pensar grande! R$ 70 bilhões no Orçamento é ajuste pra inglês ver, cortar pensão das viúvas é dinheiro de pinga. Chega de empurrar com a barriga, de ajuste meia-boca. Vamos afiar mais esta tesoura.

Se é para arrochar os gastos, vamos arrochar de verdade. Topa, ministro?

*Formado em Filosofia pela USP

**Artigo publicado na Folha de São Paulo em 21/05/2015.

***A imagem não faz parte do artigo original. Foi acrescentada.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Campanha de doação de roupas para Xavantes no Vídeo Índio Brasil

24/05/2015 at 15:24 (*Liberdade e Diversidade)

AJUDEM OS XAVANTES! DOAÇÃO DE ROUPAS!

Meu amigo Xavante Divino Tserewahu vem a Campo Grande, MS, na próxima semana dia 27/05. Ele pede doação de roupas usadas para seus parentes. Quem puder ajudar entre em contato comigo inbox. Não basta achar o índio bacana, também precisa ajudar, né! Muito obrigado!!! Assista ao filme “O Mestre e o Divino”.

 

Local de doação: Armazém Cultural

Quando: A partir de quarta-feira (27) durante a programação do Vídeo Índio Brasil 

Responsável: Professor Helio Augusto Godoy / UFMS

*****

Link permanente Deixe um comentário

Com 4 filmes produzidos em MS, Vídeo Índio Brasil estreia nesta semana em Campo Grande

24/05/2015 at 15:01 (*Liberdade e Diversidade)

filmes indígenasCordilheira da Amora ll é um dos filmes em exibição durante a mostra. (Foto: Divulgação)

24/05/2015

Ângela Kempfer / Campo Grande News

Filmes que têm os índios como tema central começam a ser exibidos na próxima quarta-feira (27), no Armazém Cultural, em Campo Grande. A mostra Cine Índio Brasil terá 4 produções sul-mato-grossenses, entre elas, a Cordilheira da Amora II, curta premiado este ano no Festival de Documentários É Tudo Verdade.

O projeto exibe trabalhos assinados por diretores indígenas ou não, por considerar trabalho importante de resistência das diversas culturas indígenas no País. A mostra segue até 31 de maio, com sessões sempre às 19h30.

O evento será aberto no dia 27, às 18 horas, com a exposição fotográfica “A Imagem dos Índios”, de Elis Regina Nogueira e Vânia Jucá. Também será montada feira de artesanato indígena.

Veja a programação de filmes:

Dia 27 de maio

Longa – “O Mestre e o Divino”

Como todo período histórico importante, a catequização indígena no Brasil envolve mitos e verdades. Em pleno século XXI, uma aldeia em Sangradouro, no estado do Mato Grosso, recebe a visita de dois cineastas, o alemão Adalbert Heidi e o Xavante Divino Tserewahu, que auxiliam na descoberta das origens de certas tradições da tribo.

Dia 28 de maio

Curta – “Nossa Pintura”

índios no msUsa a pintura corporal dos Mebêngôkre-Kayapó para encontrar história e mitologia na reflexão sobre índios e brancos. Os índios do sul do Pará, desvendam o universo cotidiano desta fabricação, aprendida em tempos mitológicos e transmitida de geração em geração. A continuidade desta tradição, em um mundo em constante transformação, faz com que as mulheres Mebêngôkre-Kayapó, detentoras deste conhecimento, refletirem.

Curta – “Vamos à Luta”

Em abril 2002, os índios Makuxi da reserva Raposa Serra do Sol comemoram 25 anos de luta pelo reconhecimento definitivo da reserva. Divino Tserewahú, realizador Xavante, vai ao encontro dos seus “parentes” e registra as comemorações e a demonstração de força do exército de fronteira para intimidar os índios. Divino manifesta a sua surpresa diante de tal confrontação.

Curta – Flor Brilhante e as Cicatrizes da Pedra

Flor Brilhante é a matriarca de uma família indígena de rezadores Guarani-Kaiowá que vive na reserva de Dourados-MS, Brasil. Lá, cerceados de seu modo de viver originário, tentam sobreviver preservando conhecimentos e hábitos da cultura dos antigos, enquanto convivem com os efeitos e mazelas causados pelas explosões continuas de uma usina de asfalto, que dinamita e explora uma pedra sagrada no território da aldeia há mais de 40 anos. Documentário realizado em outubro e novembro de 2012, de forma totalmente independente, como um meio de conceder à família voz para contar sua história e canais para trazê-la a público.

Curta – Cordilheira da Amora II

Moradora da Aldeia Amambai, no Mato Grosso do Sul, perto da fronteira do Brasil com o Paraguai, uma indiazinha Guarani Kaiowá, Carine Martines, de 9 anos, transforma seu quintal num experimento do mundo. Contando com folhas, tijolos, pedaços de papel, madeira e plástico, ela cria histórias e personagens que alargam sua solidão em brincadeiras, sonhos e projetos.

Dia 29 de maio

Curta – Uma Lei para Todas

Retrata a dificuldade na aplicação da Lei Maria da Penha para as mulheres indígenas de Mato Grosso do Sul, frente à recusa do atendimento nas delegacias do Estado. O documentário foi um dos cinco vencedores do Concurso de Curtas inéditos sobre a Lei Maria da Penha em 2012, promovido pela Procuradoria Especial da Mulher, em parceria com a TV Câmara, financiado pelo Banco Mundial.

Longa – Serras da Desordem

índios no ms2Um misto de ficção e documentário, dirigido pelo italiano radicado no Brasil, Andrea Tonacci. Todos os personagens do filme são interpretados pelos próprios em uma reconstituição do que foi a vida de Carapirú. No interior do Maranhão, no final da década de 70, uma tribo indígena é incendiada por um grupo de fazendeiros que se viram ameaçados pela sua presença. Os índios são dizimados restando apenas Carapirú, que estava distante no momento. Sem ter para onde ir, o homem caminha sem rumo durante anos. No caminho, encontra uma série de pessoas com quem trava uma amizade mesmo com o bloqueio do idioma, já que ele não fala o português. Depois de dez anos de caminhada, Carapirú é encontrado a 2000 km de distância de sua tribo, pela FUNAI. Vai para Brasília e vira celebridade.

Índio cidadão?

Dia 30 de maio

Curta – Terra Livre

indios no ms 3Dirigido por índio terena, discute as leis que provocam o extermínio de populações indígena e fala de ações de enfrentamento.

 

 

Longa – Índio Cidadão?

índios no ms4A luta das nações indígenas para conquistar – e manter – os direitos garantidos pela lei. Contando com depoimentos de ativistas e importantes lideranças, o documentário aborda momentos marcantes desta jornada, que segue até hoje, como a ocupação da Câmara dos Deputados em 2013 e a Mobilização Nacional em Defesa dos Direitos Constitucionais, ameaçados pelo próprio Congresso Nacional. Uma batalha para impedir que continue o extermínio de lideranças e grupos indígenas, uma batalha para garantir o direito do ser humano.

Dia 31 de maio

Longa – Coração do Brasil

Documentário que busca refletir sobre o atual estado das colônias indígenas e da floresta amazônica, 50 anos após a expedição capitaneada pelos Irmãos Villas Boas, para demarcar o centro geográfico do Brasil, em 1958. Foi o último trabalho de um dos maiores diretores de fotografia da história do cinema brasileiro, Aloysio Raulino.

Sempre, no fim das sessões, haverá debate sobre os assuntos apresentados pelos filmes.

O Armazém Cultural fica na Esplanada dos Ferroviários, ao lado da Feira Central.

Veja Mais:
› UFGD inicia 3ª Mostra Audiovisual, com filmes e shows no Teatro Municipal
› Com 4 estreias, telonas têm suspense, drama e até remake de Poltergeist

***

*Comentário do blog: Super! Imperdível!

*****

Link permanente Deixe um comentário

Charge do Mariano: Shopping do Congresso

24/05/2015 at 13:36 (*Liberdade e Diversidade)

Charge do Mariano*Charge do Mariano para o Charge online de hoje (24). Supimpa!

*****

Link permanente Deixe um comentário

Reforma Agrária: Incra não tem perspectiva de novos assentamentos em MS

24/05/2015 at 12:53 (*Liberdade e Diversidade)

reforma agráriareforma agraria 2Queda acentuada no número de famílias assentadas, entre 2010 e 2014, mostra a deficiência do órgão

A criação de assentamentos em Mato Grosso do Sul está cada vez lenta. Se em 2010, quando denúncias de corrupção derrubaram a cúpula do Instituto Nacional de Reforma Agrária aqui do Estado, foram assentadas poucas famílias – 1.449 -, depois disso, os números revelam queda ainda maior. Em todo o ano passado, apenas 442 conseguiram um pedaço de terra. Recuo de 69%. O ano em que mais famílias foram assentadas em Mato Grosso do Sul foi em 2005, quando 6.031 conseguiram lotes em ex-fazendas consideradas improdutivas pelo órgão federal. Para se ter uma ideia da paradeira, há cinco anos, o Incra de MS criou quatro assentamentos e após isso, somente em 2014, na Fazenda Nazareth. Ver reportagem completa de Gildo Tavares na edição de hoje (24) do jornal Correio do Estado. A foto é de Paulo Ribas. Clique para ampliar.

***

*Comentário do blog: Inúmeros fatores podem ser citados para justificar o “insucesso” da Reforma Agrária em Mato Grosso do Sul: Conservadorismo, baixo investimento, ausência de assistência técnica, escolhas insensatas de terras (não adequadas para a Reforma Agrária), influência política na escolha de dirigentes do Incra, etc.,etc. Este último fator, por exemplo, nos parece essencial:  É que a escolha de dirigentes para os órgãos federais nos Estados passam necessariamente pelo crivo dos governos estaduais, porque se isso não for feito, esses órgãos serão literalmente “esquecidos” pelos governos dos Estados. Foi o que aconteceu aqui no MS, com, por exemplo, o Incra (onde está?, o que tem feito?) e a Funai (onde está?, o que tem feito?), no governo do PMDB (André Puccinelli). O que acontecerá de agora em diante, por exemplo, com órgãos como Incra e Funai, com dirigentes escolhidos pelos Tucanos, hein? Parabéns, Gildo, pela matéria, mas será que dá para mostrar outras realidades no Estado – de preferência, positivas – além da Fazenda Nazareth, no Anhanduí/Sidrolândia, de saudosa e doída lembrança? Hermano Melo.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Custo do Aquário do Pantanal deve chegar até R$ 300 milhões

24/05/2015 at 11:35 (*Liberdade e Diversidade) ()

aquário0aquário 2Mais gastos estão previstos com a obra que já consumiu, pelo menos, R$ 244,6 milhões até agora

Sem data de inauguração prevista, o Aquário do Pantanal vai consumir ainda mais recursos dos cofres do Estado. Levando-se em conta que o último aditivo de contrato assinado pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) venceu no mês passado, a atual administração de Reinaldo Azambuja (PSDB) vai ter que renovar a contratação da empresa construtora, a Proteco, já que as obras não ficaram prontas. Segundo Puccinelli, o Aquário deveria estar pronto e entregue em abril. Já a administração de Azambuja afirma que mais obras precisam ser feitas. Ver reportagem completa assinada por Lucas Junot na edição de hoje (24) do jornal Correio do Estado. A foto é de Álvaro Rezende. Clique para ampliar.

http://www.correiodoestado.com.br

***

*Comentário do blog: E a novela continua…

*****

Link permanente Deixe um comentário