Para ampliar a campanha contra publicidade infantil (Leitura da noite)

20/05/2015 at 21:46 (*Liberdade e Diversidade)

publicidade infantil Por apelarem a pessoas vulneráveis, certas propagandas estabelecem relação de dependência e cristalizam um modo de ver o mundo. Quais são. Como enfrentá-las. Por que mercado insiste em repeti-las

20/05/2015

Por Desirée Ruas* / Blog da Redação

A proteção da criança aos apelos publicitários tem respaldo legal há quase 25 anos. Desde sua criação, o Código de Defesa do Consumidor estabelece, no artigo 37, que é abusiva e ilegal a publicidade que “se aproveita da deficiência de experiência e julgamento da criança”. Também desrespeita a legislação vigente toda publicidade discriminatória, que desrespeita valores ambientais, incita à violência, explora o medo ou a superstição, ou que induza o consumidor a se comportar de maneira prejudicial ou perigosa à sua saúde ou segurança. Mas, como determinar a infração concreta a estas normas, em imagens ou palavras nos milhares de comerciais que chegam às pessoas diariamente, no país?

Há pouco mais de um ano, em de abril de 2014, entrou em vigor a resolução 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), que explicita os critérios para determinar o que é uma publicidade infantil e como ela tenta convencer a criança para o consumo. E o que há para comemorar nesse período? Para quem defende a reflexão sobre a infância e o consumo, a resolução inaugurou um debate importante, mas não gerou medidas concretas por falta de fiscalização e punição para os que desrespeitam a medida. E a dúvida persiste: até quando a criança vai continuar sendo alvo de mensagens comerciais nos diversos meios de comunicação? Read more of this post

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Presidente de CPI recua sobre exumação de José Janene

20/05/2015 at 21:39 (*Liberdade e Diversidade) ()

Janene 2

Ex-líder do PP na Câmara dos Deputados, Janene foi um dos pivôs do escândalo do mensalão  

Hugo Motta (PMDB-PB) quer agora ouvir viúva de ex-deputado para depois decidir se pede exumação de envolvido na Lava Jato

20 MAI 2015

Fernando Diniz / Terra

Direto de Brasília

O presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), recuou nesta quarta-feira sobre o pedido de exumação do corpo do ex-deputado José Janene (PP-PR) e disse que pretende ouvir a viúva dele, Stael Janene, antes. A decisão foi tomada depois de críticas da família de Janene ao parlamentar.

Antes da CPI, Hugo Motta chegou a dizer que pediria a exumação de Janene sem submeter a ideia à votação dos outros deputados. O parlamentar disse ter ouvido relatos de que a viúva desconfiava de que ele continuasse vivo, já que o caixão teria sido lacrado. Stela Janene desmentiu a informação.

Diante da resistência de parlamentares, Hugo Motta disse que pediria mesmo assim a exumação, mas em forma de requerimento, que poderia ser votado por outros parlamentares. Mas, depois das críticas da família, o peemedebista disse que vai ouvir Stael para depois decidir se solicita o processo para confirmar a morte do pepista.

Ex-líder do PP na Câmara dos Deputados, Janene foi um dos pivôs do escândalo do mensalão por receber R$ 4,1 milhões do valerioduto. Ele foi absolvido na Câmara do processo por quebra de decoro parlamentar. O ex-deputado do PP também é citado por ter supostamente recebido dinheiro do esquema de corrupção da Petrobras, por meio de Alberto Youssef.

SAIBA MAIS

Viúva de Janene nega dúvida sobre morte: “maldade desumana”

Em funeral, Janene foi “purificado” no rito islâmico

Presidente da CPI da Petrobras quer exumação de Janene

*****

Link permanente Deixe um comentário

CPI da Petrobras pedirá exumação de ex-deputado José Janene

20/05/2015 at 15:52 (*Liberdade e Diversidade)

jose-janene

José Janene

 

Janene, cuja morte foi anunciada em 2010, é citado no escândalo da Lava Jato e foi denunciado no processo do mensalão

Deputado diz ter informações de que a viúva do ex-deputado citado na Lava Jato não tem certeza de que ele está morto

20 MAI 2015

Fernando Diniz / Terra

Direto de Brasília

O presidente da CPI da Petrobras na Câmara, Hugo Motta (PMDB-PB), vai pedir a exumação do corpo do ex-deputado José Janene (PP-PR) para confirmar se o parlamentar está mesmo morto. O parlamentar disse nesta quarta-feira ter recebido informações de que a viúva do ex-deputado, Stael Janene, desconfia de que ele esteja vivo.

Janene, cuja morte foi anunciada em 2010 após problemas cardíacos, é citado no escândalo da Lava Jato por envolvimento com o doleiro Alberto Youssef e foi denunciado no processo do mensalão. Hugo Motta, que é médico, afirma que o caixão de Janene chegou lacrado ao Paraná após a confirmação da morte no Incor, em São Paulo.

“Se é verdade ou não, eu não sei. Mas eu acho que tem de ser esclarecido. Se a viúva não tem certeza que ele morreu, como a CPI vai ter?”, questionou o peemedebista. “Ninguém viu ele morto. É uma coisa muito estranha. Chegando essa informação até mim e eu não agindo, estarei sendo negligente”, acrescentou o deputado.

A ideia de Hugo Motta é pedir a exumação por meio de um ato da presidência da CPI, sem ter que submeter a votação dos colegas. Ele quer compor uma comissão de deputados para ir até o Paraná, colher amostras de DNA de familiares e confirmar a morte. A CPI também quer convocar Stael Janene para depor.

Ex-líder do PP na Câmara dos Deputados, Janene foi um dos pivôs do escândalo do mensalão por receber R$ 4,1 milhões do valerioduto. Ele foi absolvido na Câmara do processo por quebra de decoro parlamentar. O ex-deputado do PP também é citado por ter supostamente recebido dinheiro do esquema de corrupção da Petrobras, por meio de Alberto Youssef.

http://terratv.terra.com.br/trs/video/7847633

As principais notícias da manhã no Brasil e no mundo (20/05)

SAIBA MAIS

PT responde programa do PSDB: “jogo de mentiras e falsidade”

Senado pode derrubar ajuste se Dilma vetar mudança em fator

Senado aprova Luiz Edson Fachin para vaga no STF

PMDB, PSDC, PHS, PRP… Você sabe o significado das siglas?

***

*Comentário do blog: É mole?

*****

Link permanente Deixe um comentário

MST bloqueia 5 trechos de rodovias no MS; confira

20/05/2015 at 15:29 (*Liberdade e Diversidade)

bloqueio-sem-terra-br-163-valdenir-rezende-MST bloqueia rodovias no MS (Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado)

Interdições ocorreram às 6h de hoje e a previsão é de que as estradas sejam liberadas meio-dia

20 de Maio de 2015

VÂNYA SANTOS

Quatro trechos de rodovias federais estão interditadas em Mato Grosso do Sul por manifestantes do Movimento Sem Terra (MST). As interdições ocorreram às 6h desta quarta-feira (20) e a previsão é de que as estradas sejam liberadas por volta do meio-dia de hoje.

Na altura do km 38 da BR-267, próximo ao trevo que dá acesso a cidade de Angélica (MS), cerca de 50 manifestantes do MST colocaram fogo em pedaços de madeira e em pneus. Já no km 408 da BR-262, próximo à entrada ao distrito de Palmeiras, em Aquidauana, outro grupo impediu o trânsito de veículos.

O MST interditou o km 411, também na BR-163, e a BR-060, em Sidrolândia.

Manifestantes liberaram, no início da tarde, o trecho do km 104 da BR-163, na cidade de Naviraí.

Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão nos locais onde os grupos do Movimento estão impedindo a passagem de veículos e a orientação é para que os condutores adiem a passagem por esses trechos ou procurem por rotas alternativas.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Dois episódios e mais uma guinada à direita (Leitura do almoço)

20/05/2015 at 12:33 (*Liberdade e Diversidade, Hermano de Melo)

hermano-de-melo-esta3Hermano Melo*

20/05/2015

Dois episódios veiculados recentemente pela mídia nacional são indicativos de que o Brasil experimenta atualmente forte onda de intolerância e expressiva guinada para a direita em seu plano político. Primeiro, foi a agressão verbal sofrida pelo ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT-SP), em restaurante de São Paulo, Capital, na tarde da última sexta-feira, 15/05. Segundo, foi a saída da prisão, quase no mesmo dia, no Rio de Janeiro, do denunciador do mensalão Roberto Jefferson (PTB-RJ), que tem intenção de retornar à política partidária em 2018.

No primeiro episódio, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT/SP) almoçava com amigos de muitos anos em restaurante no Itaim Bibi, na zona oeste da capital paulista, quando foi hostilizado por outro cliente da Casa. Depois de anunciar que o ex-ministro se encontrava ali, o homem disse: “Padilha, que nos brindou com o programa “Mais Médicos” da presidente Dilma Rousseff, foi o responsável pelo gasto de R$ 1 bilhão que nós todos, otários aqui, pagamos até hoje”.

A cena foi divulgada no Facebook da página “Vem Pra Rua Brasil”, de autoria de Danilo Amaral, ex-presidente da BRA Transportes Aéreos e sócio na Trindade Investimentos. Segundo consta, Amaral é grande detrator do PT e defensor de grupos que pedem o impeachment de Dilma Rousseff. São frequentes, portanto, seus compartilhamentos de posts com grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL), responsável pela organização dos protestos contra a presidente realizados em março e abril deste ano.

Em resposta, o ex-ministro Padilha – que se candidatou ao governo de São Paulo nas últimas eleições – e perdeu para Alckmin, após contestar a atitude de Amaral, publicou texto detalhado sobre o episódio, e ressaltou os benefícios do programa federal “Mais Médicos”.

No segundo episódio, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), condenado a sete anos de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão, a cumprir prisão domiciliar no Rio de Janeiro.

roberto jefferson deixa prisão

Roberto Jefferson

Jefferson foi preso em fevereiro de 2014 e cumpria pena estabelecida pelo Supremo no Instituto Penal Francisco Spargoli, em Niterói (RJ). O ex-deputado conseguiu atingir um sexto da pena com desconto dos dias trabalhados em escritório de advocacia. Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Jefferson ganhou o benefício, previsto na Lei de Execução Penal (LEP), por ter cumprido um sexto da pena em regime inicial semiaberto.  Apesar de condenado, Roberto Jefferson tentará suspender os efeitos da Lei da Ficha Limpa para voltar ao Congresso em 2018.

Mas qual seria o vínculo e a importância de um e do outro fato no contexto atual da política brasileira? No primeiro caso – a agressão sofrida pelo ex-ministro Padilha – revela o sentimento de intolerância do agressor que viu Alexandre Padilha como representante do Partido dos Trabalhadores (PT), responsável por todas as mazelas do País nos últimos tempos. Daí a necessidade de punir o ex-ministro por isso.

Quanto à saída da prisão de “Bob Jefferson”, pivô de toda trama que resultou no julgamento do mensalão e na condenação de José Genoíno e José Dirceu, em particular, ambos do PT, tudo indica que logo que ele se sinta mais à vontade em casa, voltará à carga e será de grande utilidade para determinados segmentos da direita nacional em 2018.

Resumo da ópera: Tanto num como noutro episódio é bem provável que mais uma vez a direita sai fortalecida e pronta para desfechar o golpe do impeachment em Dilma Rousseff no próximo dia 27/05 em Brasília. É preciso lutar contra isto.

*Jornalista e Escritor

*****

Link permanente Deixe um comentário

Charge de Luscar: Negócios da China

20/05/2015 at 12:06 (*Liberdade e Diversidade)

AUTO_luscarCharge de Luscar para o Charge online de hoje (20/05). Super!

*****

Link permanente Deixe um comentário

A greve e o ódio ao vermelho (Leitura da manhã)

20/05/2015 at 11:42 (*Liberdade e Diversidade)

greveO argumento de que a greve tem motivação política é tão raso que só serve mesmo para os analfabetos políticos que não se dão conta de que, se não fossem ações de grupos e movimentos sociais, não viveríamos numa democracia. É política por ser uma tentativa de participar de espaços de poder cuja representação coletiva não se efetiva e determinados interesses são particularizados.

19/05/2015

Revista Fórum – Edição 197

Por Eliane Oliveira*

Paira no país um espectro, o do comunismo. Gostaria mesmo de entender a aversão que muitas pessoas têm contra uma perspectiva política que nunca se realizou de fato. Ser de esquerda no Brasil e se identificar como tal alimenta esse temor como se fôssemos, realmente, devoradores de criancinhas.

Explico: Entre as várias situações absurdas que vivenciei nesses dias de greve do funcionalismo público aqui no Paraná, uma delas foi perceber que o medo do “vermelho” é algo ainda mais irracional do que dimensionava. Por mais que exista um apoio enorme da população em geral em relação ao movimento, quando vejo manifestações contra, elas se baseiam no senso comum e nas argumentações falhas sobre as bandeiras vermelhas.

Em plena manifestação do dia 29 de abril, antes do massacre no Centro Cívico em Curitiba, uma pessoa passa pelo meu grupo (todos devidamente vestidos com camisetas com o símbolo do sindicato em vermelho), e diz que só apoiaria o movimento se baixássemos as bandeiras vermelhas. A pessoa estava identificada com crachá funcional, ou seja, também é funcionária pública, estava indo para algum órgão do governo.

Ora, uma busca rápida na internet já explica o simbolismo da cor para quem luta por mudanças sociais. O que vigora, no entanto, é uma má vontade ou preguiça de refletir a respeito, o ódio contra quem representa a esquerda é maior que qualquer possibilidade de racionalidade, chamar alguém de “comuna” e ou “marxistas” no sentido pejorativo é coisa de quem não tem Google em casa, só pode.

Entre ler comentários raivosos, mandando os militantes para Cuba – que poderiam vir acompanhados das passagens – e ser confrontada pessoalmente com esse discurso, vai uma distância. Ou seja, militar na internet nos poupa de olhar na cara do reacionário, do ignorante, do desonesto. Mas quem é do asfalto quente e está sujeito a receber bombas de gás lacrimogêneo na cabeça tem que saber lidar com esse tipo de gente. Sim, ela foi vaiada, até porque não parou nem um minuto para ouvir nossa argumentação.

Se bandeira branca significa paz relacionada ao fim de batalhas, a vermelha é a cor do desafio, da luta. Simboliza o sangue derramado por todos aqueles que ousaram confrontar o poder instituído, buscando estabelecer melhorias para a classe oprimida. Negar nossa bandeira é legitimar a divisão social e, neste caso em questão, não perceber qual a sua posição dentro de uma estratificação que classifica os sujeitos e que determina quem ocupará os espaços de poder.

Poderão me dizer que o ódio é contra um partido específico, ok, mas isso só reforça minha teoria de desonestidade e ignorância. Se o problema está em um partido, se existisse entendimento da significância simbólica das bandeiras vermelhas, haveria identificação com as causas defendidas e, dessa forma, caberia questionamentos sobre a legitimidade do uso da cor por tal partido.

Então não, o problema não está restrito a esse ou aquele partido, mas sim identificado com a luta representada pela cor vermelha. Defender manutenção de privilégios é diferente de lutar por direitos coletivos, pela redução das desigualdades e questionar hierarquia de poder. Repudiar nossas bandeiras é tentar manter à margem da sociedade sujeitos que estão condenados à anulação social, mas que mantém a estrutura do capital funcionando.

O argumento de que a greve tem motivação política é tão raso que só serve mesmo para os analfabetos políticos que não se dão conta de que, se não fossem ações de grupos e movimentos sociais, não viveríamos numa democracia. Sim, toda greve tem motivação política, o fato de algumas pessoas usarem as ações coletivas como instrumentos de disputas partidárias é que deve ser questionado, afinal demonstra o total descompromisso com a seriedade do que está sendo debatido, buscado, defendido. Não existe greve que não seja política, mesmo que os sujeitos participantes sejam distintos daqueles que, teoricamente, deveriam representar os direitos da maioria. É política por ser uma tentativa de participar de espaços de poder cuja representação coletiva não se efetiva e determinados interesses são particularizados e egocentrados.

Alguns textos circulam pela internet sobre o ódio de classes que se instalou no Brasil, mas acredito que há algo ainda mais tenso, a falta de reconhecimento por parte de muita gente de qual lado do poder se encontra. Muito proletário achando que é burguês e, por isso, defendendo causas que são próprias de uma elite que se esconde na aparência do bom mocismo. Afinal, será que não se dão conta de que os interesses de quem oprime e explora estão longe de ser o mesmo de quem é explorado?

Comunismo, esse espectro que ronda a história política brasileira, que serviu para justificar derrubada de presidente e a instauração da ditadura de 64, é mais temido do que entendido, muita gente vítima da falta de conhecimento. Como sempre digo aos meus alunos, conhecimento é poder, então a quem serve a ignorância histórica e política de pessoas como a que questionou nossa bandeira vermelha em pleno 29 de abril?

(*) Eliane Oliveira é mestre em Ciências Sociais e pesquisadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares Afro-Brasileiros (NEIAB) da Universidade Estadual de Maringá/PR (UEM), além de professora de sociologia da rede pública e particular e feminista negra.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Aquário do Pantanal: Obra inacabada de André vai custar 173% mais que o previsto: R$ 230 milhões

20/05/2015 at 10:41 (*Liberdade e Diversidade)

aquario_dg_1Custo inicial do projeto era de R$ 84 milhões e deve fechar em R$ 230 milhões

20/05/2015

Waldemar Gonçalves / Midiamax News

O Aquário do Pantanal, em construção no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, sob a promessa de ser o maior de água doce do mundo, custará 173% mais que o previsto no projeto original. Somente os custos com a obra deverão chegar a R$ 230 milhões, ao passo que o primeiro orçamento ficou em R$ 84 milhões.

A cifra consta em estimativa do próprio governo estadual, segundo revelou nesta terça-feira (19) o secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, em texto divulgado no site do Executivo. “Temos que separar bem as coisas, o aquário foi muito discutido, mas vamos terminar e fazer com que o dinheiro do cidadão seja aplicado da melhor maneira possível”, disse o chefe da pasta de obras, ainda conforme a fonte oficial.

O projeto começou em 2010, no governo de André Puccinelli (PMDB). A inauguração, adiada várias vezes, ficou para o sucessor, Reinaldo Azambuja (PSDB), que instituiu auditoria para avaliar as condições do projeto, já que, somente até o fim da gestão do peemedebista, os gastos estavam na casa dos R$ 200 milhões.

Atualmente, há 150 funcionários trabalhando nas obras do aquário, segundo disse Domingos Sávio, um dos engenheiros responsáveis, ao site do governo estadual. O projeto está em fase de conclusão.

Ao todo, são 18 tanques com capacidade para 6,2 milhões de litros de água. Está previsto que estes ambientes abriguem em torno de 12,5 mil animais de quase 300 espécies, incluindo peixes, invertebrados, répteis e mamíferos.

Oficialmente, o local é chamado de Centro de Pesquisa, Desenvolvimento, Inovação e Difusão do Conhecimento sobre a Biodiversidade Pantaneira. Ou seja, além do aspecto turístico, nascerá com a promessa de pesquisar a fauna e flora da região.

Saiba mais:

Governo suplementa R$ 16,8 milhões para obra do Aquário do Pantanal

Governo prorroga contrato de R$ 29 milhões para ‘suporte à vida’ no Aquário

Deputado rebate relatório, e PMDB encerra discussão da ‘herança’

*****

Link permanente Deixe um comentário

Professores de Campo Grande, MS, entram em greve segunda (25)

20/05/2015 at 10:13 (*Liberdade e Diversidade)

greve professores 1greve professoresIndignados com o não cumprimento de reajuste previsto em lei, categoria vai deixar 100 mil sem aulas

Os professores da Rede Municipal de Ensino (Reme) anunciaram greve a partir da próxima segunda-feira, dia 25, e por tempo indeterminado. Com isso, mais de 100 mil alunos ficarão sem aulas. A categoria quer reajuste salarial de 13,1%, previsto em lei municipal para equiparar o piso salarial pago aos profissionais que atuam 40 horas semanais, como os que têm carga horária de 20 horas na semana. Ver reportagem completa de Anny Malagolini na edição de hoje do jornal Correio do Estado. As fotos são de Gerson Oliveira (acima) e Paulo Ribas (abaixo). Clique para ampliar.

http://www.correiodoestado.com.br

***

*Comentário do blog: Isso sem contar com a repercussão da reportagem do Fantástico sobre as ‘gambiarras’ do prefeito Gilmar Olarte (PP). Aliás, para quem esperava uma bomba em relação a isso, veio um traque! Mas vamos ver no que dá o pedido de afastamento do prefeito, né?

*****

Link permanente Deixe um comentário