Dilma defende diálogo com trabalhadores e repudia violência

30/04/2015 at 16:05 (*Liberdade e Diversidade) (, )

dilmacentraissindicaisterceirizacaorobertostuckertfilhofotosDilma se reuniu com líderes de centrais sindicais nessa quinta-feira (Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação

Em clara referência à ação da Polícia Militar do Paraná, presidente disse que manifestações são legítimas

30 ABR 2015

Fernando Diniz / Brasília

Terra

Na véspera do Dia do Trabalhador, a presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira, em encontro com centrais sindicais, a criação de um fórum de debate sobre políticas de emprego e renda. Em uma clara referência à repressão dos protestos de ontem no Paraná, a mandatária disse que as manifestações dos trabalhadores são legítimas e que é preciso estabelecer um diálogo “sem violência”.

“As manifestações dos trabalhadores são legitimas e temos de estabelecer esse diálogo sem violência. O princípio é respeito às manifestações democráticas, respeito ao diálogo, e repudio integral à violência”, afirmou a petista.

O fórum criado pela presidente, por meio de decreto, vai reunir as centrais sindicais, empresários, aposentados, pensionistas e representantes do governo. O grupo vai debater a sustentabilidade do sistema previdenciário, política de valorização do emprego e renda, medidas de redução da rotatividade do mercado de trabalho, aperfeiçoamento das relações trabalhistas e mecanismos para o aumento da produtividade.

“Para construir consenso e evitar violência, o único caminho que existe é o caminho do diálogo. E esse caminho do diálogo é saber conviver com diferenças”, disse a presidente. A presidente citou a violência em manifestações em outras ocasiões de seu discurso, um dia depois de a Polícia Militar do Paraná reprimir uma manifestação de professores em Curitiba. O Estado é governado por Beto Richa, do oposicionista PSDB.

Depois de decidir se pronunciar no 1º de Maio apenas nas redes sociais, a presidente fez uma defesa do ajuste fiscal promovido pelo governo federal no discurso inicial da reunião, transmitido pela TV oficial. Ela atribuiu a crise financeira a fatores externos e também internos, em razão da seca na região Sudeste. “Sugerimos uma série de medidas para evitar distorções e excessos. São essenciais para a atividade econômica e para a gente retomar o crescimento”, disse, em referência às mudanças no acesso do seguro desemprego e pensão por morte.

Terceirização

Cobrada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para se posicionar sobre o projeto de lei da terceirização, Dilma disse aos sindicalistas que a regulamentação é essencial, mas fez ressalvas. A Câmara aprovou a terceirização para todas as atividades de uma empresa, mas a petista acredita que deve haver uma diferenciação entre “atividade meio” e “atividade fim”.

“A regulamentação precisa manter, do nosso ponto de vista, a diferenciação entre atividades fim e atividades meio, nos mais diversos ramos da atividade econômica. E para nós é necessário para assegurar que trabalhador que tenha a garantia dos direitos conquistados nas negociações salariais”, disse.

SAIBA MAIS:

Dilma: Petrobras está virando página da operação Lava Jato

Após panelaços, Dilma não fará pronunciamento no 1º de Maio

Renan diz que é “ridículo” Dilma não falar no 1º de Maio

Confusão entre público e privado no Brasil tem mesma idade da escravidão, diz Dilma 

*****

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: