19 de abril – Dia do Índio

19/04/2015 at 09:40 (*Liberdade e Diversidade)

dia do indio 2Lendas mexem com o imaginário popular e destacam crenças e história do povo indígena de Palmas – PR.

19 abril 2015

RBJ Palmas – PR

Escrito por Guilherme Zimermann

Hoje, 19 de abril, comemora-se o Dia do Índio. Em diversos municípios da região foram realizadas mostras e apresentações, com intuito de difundir a cultura indígena a toda a população.

Em Palmas, sul do Paraná, aconteceu a 10ª Mostra Indígena, com apresentações artísticas, culturais e esportivas. Em seus primeiros registros históricos, por volta dos anos 1700, exploradores apontavam a presença de indígenas onde hoje se localiza o município palmense. Dessa forma, no Dia do Índio, apresentamos duas lendas, que fazem parte do imaginário popular e contam um pouco das crenças e da história do povo indígena em Palmas:

Campos de Palmas

Habitavam a região de Palmas duas tribos indígenas: uma localizada no centro e outra na região do horizonte. A primeira regida pelo deus do fogo e a outra pelo deus do vento.

Num conflito dos deuses, o deus fogo ateou fogo em toda a região onde habitavam os indígenas localizados no horizonte; por sua vez, o deus além de apagar o fogo, varreu tudo em sua volta, inclusive os indígenas da região central do município.

Por isso os campos de Palmas são uma maravilha, com campos limpos e verdes, de uma visão sagrada e limpa.

História manchada de sangue

Existiam em Palmas três grandes aldeias indígenas. Uma do Cacique Viri, outra do Cacique Condá e uma terceira do Cacique Vaiton. Cacique Viri, possuído pelas influências dos bandeirantes, que pensavam em tomar essas terras, começou assim a transferir poderes aos bandeirantes, agora fazendeiros.

O cacique, encantado com viagens ganhas para Curitiba e Caçador junto com os fazendeiros, começou a ceder as terras. O cacique Condá, porém, orientava o cacique Viri a não fazer essas trocas, até que foi corrompido para levar toda sua tribo a Chapecó, deixando livres as terras que habitavam.

Enquanto isso, o cacique Vaiton preparava um ataque à tribo do cacique Viri. Este protegeu-se com os fazendeiros, que com armas de fogo e armas brancas esperaram numa tocaia toda a tribo do cacique Vaiton. O local do ataque foi o atual Parque da Gruta.

Numa vala, cheia de pedras e água, morreram todos os indígenas da tribo do cacique Vaiton. Hoje em dia, ainda se ouvem gritos desses indígenas no parque.

*Retirado do livro – Contos e Lendas do Paraná

*****

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: