Performance em Ciberjornalismo: Inovação e Eficiência

02/04/2015 at 16:28 (*Liberdade e Diversidade)

ciberjornalismo ufms2

gerson_luiz_martinsGerson Luiz Melo Martins*

Dezenas, centenas de artigos, comentários e análises, sejam de professores experientes ou de pesquisadores e, principalmente, de jornalistas renomados dos grandes veículos de referência mundial – como o The New York Times, El País, Le Monde, Zeit, The Guardian, Times, Corriere della Sera, The Washington Post, entre outros – são unânimes em afirmar que o futuro do jornalismo está na internet, seja diretamente nas páginas dos próprios jornais, neste caso nos cibermeios, ou no acesso às notícias por meio das redes sociais, tendência que aparece nas estatísticas de acesso às notícias.

É de se pensar como pode o ciberjornalismo, o cibermeio, aferir qualidade, apresentar ao leitor um jornalismo, um jornal que seja agradável do ponto de vista da leitura, do consumo das notícias, que seja interessante, que apresente os fatos do dia, as informações da cidade, que se acerque de todos os recursos e potencialidades que a internet proporciona, que contextualize a informação e, assim, possa oferecer ao leitor uma compreensão melhor, ampla e rica da notícia.

Tudo isso atravessa o que se pode chamar de “performance”, neste caso, no ciberjornalismo. Ela se processa, necessariamente, pelo domínio da tecnologia, pela inovação criativa, seja do ponto de vista técnico ou ações profissionais, e também pela e, fundamentalmente, eficiência.

Se a sociedade que cada dia mais consome informação jornalística pela internet começa a deixar o noticiário da televisão de lado – preferindo na TV o entretenimento –, há muito deixou o jornal impresso e ouve o noticiário do rádio em momentos pontuais do dia, ela tem na internet a grande fonte de informação, que pode acessar em qualquer cinco minutos de intervalo em seu trabalho. Esta fonte de informação potencial e do futuro precisa corrigir os erros das mídias tradicionais e investir em qualificação técnica, humana, de processos de produção. É o grande desafio dos próximos anos. O cibermeio, o jornal, a empresa jornalística que não tiver esta visão, terá de fechar as portas em poucos anos, talvez meses.

Performance em ciberjornalismo, a tecnologia, a inovação e a eficiência são temas centrais de debate no 6º Simpósio Internacional de Ciberjornalismo que o Grupo de Pesquisa em Ciberjornalismo da UFMS realiza entre 1º e 3 de junho próximo. Para discutir os temas, o Ciberjor, como é conhecido, convidou jornalistas experientes, com estudos amplos sobre o jornalismo na internet, como Rosental Calmon Alves, que foi jornalista do Jornal do Brasil, implantou o JB na internet e dirige um dos maiores centros de estudos e pesquisa em ciberjornalismo nos Estados Unidos. Fernando Zamith, um dos principais pesquisadores portugueses em ciberjornalismo, com uma coleção de livros publicados sobre o tema. Fernando Irigaray da Argentina, que há anos se dedica ao estudo das narrativas jornalísticas na internet e a chamada transmídia. E ainda o também pesquisador de Portugal João Canavilhas, que propõe uma estrutura inédita da notícia, especialmente para a informação jornalística publicada na internet.

O 6º Simpósio Internacional de Ciberjornalismo acontecerá na UFMS. Informações sobre o evento podem ser acessadas no endereço www.ciberjor.ufms.br/ciberjor6.

*Jornalista e pesquisador do Ciberjor e PPGCOM-UFMS

**Artigo publicado no jornal “O Estado MS” em 02/04/2015

*****

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: