Manifesto Pró-Dilma reúne 1,8 mil pessoas no Centro de Campo Grande, MS, segundo PM

13/03/2015 at 15:33 (*Liberdade e Diversidade)

manifesto pró-DilmaApesar da PM dizer que 1,8 mil pessoas acompanharam manifesto, organização estimou 10 mil participantes. (Foto: Nyelder Rodrigues)

13 de março de 2015

Nyelder Rodrigues e Gabriela Galvão / O Estado MS

O Ato em Defesa da Democracia, da Petrobras e da Reforma Política que aconteceu hoje pela manhã na região central de Campo Grande reuniu 1,8 mil pessoas, segundo estimativas da PM, e concentrou argumentos contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. De acordo com a organização, aproximadamente dez mil pessoas estavam no local.

Ciberlina Ledesma, 48, conta que veio à manifestação para reivindicar terra. Em relação ao impeachment que algumas pessoas promulgam, ela é contrária, afirmando que “se tirar ela (Dilma), não vamos conseguir mais nada mesmo”.

O pequeno produtor Osvaldo Luis da Silva, 54, conta que foi ao protesto porque já faz parte do movimento CUT (Central Única dos Trabalhadores) e tem que seguir com essa luta. Ele é contrário ao impeachment. “A situação é complicada e precisa ser revista no país, mas não se pode criar instabilidades assim”, conclui Osvaldo.

Indígenas, sindicatos e movimentos pela Reforma Agrária, além de políticos do PT, também participaram do protesto.

 

Ao longo da passeata, defensores do impeachment chamaram manifesto de ‘bagunça’. (Foto: Nyelder Rodrigues)

passeata

Na rua, Fátima Oliveira, 59, acompanhava o manifesto e afirmou que “temos que cobrar o que deve realmente ser cobrado, como a saída da presidente, que está afundando o país. Com ela não dá mais para continuar”.

Várias ruas da região central da Capital foram fechadas, tumultuando o trânsito. Logo que os manifestantes passavam, as vias eram liberadas. O protesto foi acompanhado pela Polícia Militar.

O protesto começou na praça do Rádio Clube, desceu a avenida Afonso Pena até a rua 14 de Julho, e desceu até rua Antônio Maria Coelho. Depois foram em direção á rua 13 de Julho, passando a rua Barão do Rio Branco e voltando para a praça do Rádio.

Conforme a reportagem, nas ruas havia pessoas que manifestavam contra, chamando o protesto de “bagunça”. Alguns moradores saíram na janela dos prédios, como uma senhora de sua janela na avenida Afonso Pena, que gritava “Que democracia é essa? Democracia da Petrobrás?”.

*****

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: