Debate sobre impeachment afeta imagem de estabilidade do Brasil

11/02/2015 at 12:15 (*Liberdade e Diversidade)

impeachment 1

Em 11/02/2015

Daniel BuarqueDaniel Buarque / Terra

O recente debate nacional a respeito da possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff chegou à imprensa internacional. Nesta quarta-feira (11), as principais notícias sobre o termo “impeachment” em inglês são relacionadas ao Brasil, segundo a área de busca por notícias do Google (até um dia antes, apareciam com mais destaque reportagens sobre lugares como a Tailândia). A imagem que se passa é a de um país em meio a turbulências políticas influenciadas por corrupção e por uma abordagem emocional do tema, mas aparenta haver interesse em mostrar que há caminhos menos radicais que podem levar o país de volta à estabilidade.

Independentemente de simpatizar ou não com o governo e a presidente reeleita, é importante destacar que, em termos de imagem internacional, a estabilidade institucional da política brasileira alcançada durante os governo de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva são um marco que ajudou a fazer com que o Brasil fosse visto no resto do mundo como um país sério e confiável – e isso continuou após a eleição de Dilma. O mundo inteiro desconfia de repúblicas instáveis e em que as “regras do jogo” são alteradas com frequência, e o importante é ter sempre um caminho seguro a ser trilhado pela política nacional.

impeachment 2

O apoio internacional, especialmente dos Estados Unidos, ao golpe militar que tomou o poder do Brasil em 1964 é uma fonte de constante preocupação quando se fala em estabilidade e soberania da política brasileira. Pode-se ver como positivo, portanto, que as primeiras reações da imprensa internacional e de comentaristas estrangeiros a respeito do atual debate nacional  sobre a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff têm um tom mais moderado de que de alguns brasileiros da oposição, e sempre respeitando as decisões democráticas brasileiras.

impeachment3

A principal reportagem em destaque foi publicada pela agência Reuters e reproduzida em vários veículos internacionais. O título avisa logo que a derrubada da presidente é “improvável”. “Em entrevistas à Reuters, legisladores em geral diminuíram o risco de impeachment, mas se negaram a dizer que não há chances de ele ocorrer”, diz a agência (leia o texto completo, em inglês).

Dilma “não encara um risco imediato de impeachment”, diz a reportagem, que completa alegando que isso pode mudar se houve provas de envolvimento dela na corrupção da Petrobras. Segundo a Reuters, protestos pedindo nas ruas a derrubada da presidente “reuniram poucas centenas de pessoas e líderes da oposição tomaram cuidado para se distanciar”.

Para o consultor americano Jim Wygand, o importante é abordar o tema de forma equilibrada. “Os recentes pedidos pelo impeachment de Dilma e/ou a prisão de Lula são uma resposta emocional a questões políticas muito sensíveis do ponto de vista legal, social e político. A esperança é que cabeças mais frias prevaleçam”. Wygand atua como consultor internacional para assuntos relacionados ao Brasil desde os anos 1960, assessorando políticos, órgãos internacionais e empresas estrangeiras no país, e é um forte crítico da postura do governo brasileiro em relação à economia do país. Ele publica regularmente suas opiniões contrárias ao governo em seu blog, em inglês (clique aqui para ler) – ainda assim, ele acha um exagero perigoso falar em impeachment.

Segundo uma reportagem publicada no site da revista americana Barron’s, a agência de risco Eurasia Group vê uma chance de 20% de impeachment no Brasil. A análise diz que seria preciso provar envolvimento de Dilma com corrupção e haver um distanciamento entre ela e o ex-presidente Lula. “A confluência de um crescente escândalo na Petrobras, crises iminentes de água e energia e um congresso mais independente aceleraram uma queda no apoio público de Rousseff mais veloz de que o antecipado”, diz a Barron’s, citando o grupo Eurasia (leia o texto, em inglês).

*Jornalista e escritor com mestrado sobre a imagem do Brasil pelo King’s College de Londres é autor do livro “Brazil, um país do presente”. Neste blog, analisa a imagem internacional do Brasil e sua reputação no resto do mundo. E também comenta e interpreta as principais notícias a respeito do país na imprensa estrangeira.

*****

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: