Quatro grandes filmes na Mostra de São Paulo

28/10/2014 at 21:00 (*Liberdade e Diversidade)

filmes em sampaEm “O velho do Rastelo”, Manuel de Oliveira imagina diálogo entre Camões, Cervantes, Camilo Castelo Branco e o poeta saudosista Teixeira de Pascoaes

27/10/2014

Documentário revê relação entre Pasolini e África. Comédia francesa foca Marselha. Mas valem, especialmente, argentino “Relatos Selvagens” e possível testamento de Manuel de Oliveira

Por José Geraldo Couto, no blog do IMS

O argentino Relatos selvagens, que entrou em cartaz em 23 de outubro, nos cinemas do Brasil, é, para além de suas qualidades e defeitos, um verdadeiro fenômeno, e como tal deve ser estudado e discutido.

O longa-metragem de Damián Szifrón, que há uma semana abriu a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, já foi visto em seu país por mais de três milhões de pessoas, um recorde absoluto, que no Brasil corresponderia, proporcionalmente, a quinze milhões de espectadores.

Qual o segredo de tamanho sucesso? Nunca se sabe ao certo, mas algumas pistas são seguras. Dividido em seis histórias autônomas, todas girando em torno de vinganças espetaculares, o filme tem uma inegável competência de produção e direção, uma segurança narrativa notável e, sobretudo, uma sintonia absoluta com seu tempo, isto é, com o nosso tempo. Permeando tudo, um delicioso humor negro.

Referências americanas

Alguns episódios são mais efetivos e originais, outros diluem ideias já um tanto gastas. O primeiro, que mostra com atordoante agilidade um voo em que todos os passageiros parecem ter algo de ruim a dizer sobre um personagem ausente (mas que comanda toda a ação), é o mais inverossímil e talvez o melhor de todos. Seu humor absurdo deixa claro por que os irmãos Pedro e Agustín Almodóvar produziram o filme.

Já a história de dois viajantes que se digladiam na estrada, cada qual com seu carro, faz pensar em O encurralado, de Spielberg, se tivesse sido filmado por Tarantino.

O fato de Relatos selvagens ter como uma de suas referências evidentes o cinema americano ajuda a entender, aliás, a resistência de uma parte da crítica (argentina e brasileira) ao filme. Outra razão é a conhecida má vontade da maioria dos críticos com as comédias de sucesso.

Eis a questão. Do ponto de vista do meio cinematográfico brasileiro, o filme de Szifrón desperta perplexidade e inveja, pois aqui os grandes êxitos populares do gênero, as impropriamente chamadas globochanchadas, são de um primarismo constrangedor, em termos de inteligência e estética. Relatos selvagens nos mostra que é possível conciliar o sucesso com o respeito ao espectador.

Mais que isso: não é uma diversão escapista ou “alienante” (para usar uma palavra em desuso). Num episódio como o do rapaz rico que, dirigindo embriagado, atropela uma pessoa e foge, vemos se configurar, entre quatro paredes, toda uma radiografia das contradições sociais e da estrutura corrupta de poder na Argentina, tão parecida com o Brasil nesse e em outros aspectos. Lembra, aqui, uma daquelas comédias amargas de Ugo Giorgetti.

Narrativa onírica

Já que estamos falando de comédia, um dos filmes mais saborosos da mostra de São Paulo é Au fil d’Ariane, do francês de origem armênia Robert Guédiguian. Como quase sempre, a ação se passa em Marselha e a protagonista é Ariane Ascaride, casada há quatro décadas com Guédiguian.

Desta vez, o diretor manda a verossimilhança naturalista às favas desde as primeiras imagens — um travelling pelo interior de uma espécie de maquete virtual de um edifício, antes de situar neste o lar da protagonista Ariane (Ariane Ascaride). A partir daí, seguimos o fio de Ariane (nome tão parecido com a Ariadne do mito do Minotauro), isto é, seu acidentado percurso por uma Marselha meio irreal.

Com a liberdade narrativa do sonho, e suas vertiginosas incongruências, Ariane e Guédiguian nos conduzem por uma paisagem muito próxima do real, mas ligeiramente desfocada (não no sentido estritamente óptico, mas de percepção), povoada por personagens meio esquisitos, e repleta de referências musicais, literárias e cinematográficas (as mais evidentes são a Viver a vida, de Godard, via a canção “Ma môme”, de Jean Ferrat, e a A doce vida, de Fellini).

Nascido e baseado em Marselha, Guédiguian faz um cinema francês que não parece cinema francês. Distante ao mesmo tempo de certo intelectualismo parisiense da Nouvelle Vague e seus herdeiros e, por outro lado, da superficialidade das comediazinhas de costumes que formam a vertente comercial do “cinema de qualidade francesa”, ele constrói uma obra solar, mediterrânea, que, a despeito de sua irregularidade, é sempre estimulante.

Pasolini vive

Um dos documentários mais interessantes da mostra de São Paulo é Profecia – A África de Pasolini, de Gianni Borgna e Enrico Menduni, que aborda a relação do cineasta e poeta com o continente africano: as filmagens que fez no Marrocos (de O evangelho segundo São Mateus e Édipo rei), os projetos de filmes não realizados e, sobretudo, a ideia da África como um manancial de mitos primitivos sufocados pela uniformização capitalista do mundo.

O forte do documentário são as imagens de arquivo, com bastidores de filmagens, depoimentos e entrevistas de Pasolini e até imagens do cineasta jogando futebol, num impagável confronto entre artistas do cinema e da música contra o time do circo Orfei.

Por uma feliz coincidência, começou em 22 de outubro no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo, uma retrospectiva completa da obra de Pasolini, que vai até 16 de novembro.

Dizer que se trata de um programa imperdível é chover no molhado. Pasolini foi um dos criadores mais fortes e originais do cinema moderno e sua obra, espinhosa e sem concessões, parece cada vez mais atual, como observou brilhantemente meu vizinho de blog, Bernardo Carvalho.

A derrota incomparável

Sobrou espaço para falar de um pequeno grande filme, O velho do restelo, curta-metragem de Manoel de Oliveira, exibido na mostra de São Paulo antes das sessões do longa Alentejo, Alentejo, de Sérgio Tréfaut.

Talvez seja o testamento do centenário cineasta português, hoje muito debilitado fisicamente. Se for seu último trabalho, e esperamos que não seja, terá fechado com chave de ouro uma obra admirável. Estão no filme, de maneira irônica e melancólica, as questões mais constantes de seu cinema: a memória coletiva, o destino tortuoso dos povos ibéricos, o caráter ilusório da glória, a impalpabilidade de tudo o que conta de verdade na vida.

Impressiona o vigor criativo, a liberdade estética, a coragem de arriscar desse artista de 105 anos. Num banco de praça do Porto, sua cidade natal, ele põe para conversar ninguém menos que Luís de Camões (Luís Miguel Cintra), Miguel de Cervantes (Ricardo Trêpa), Camilo Castelo Branco (Mário Barroso) e o poeta saudosista Teixeira de Pascoaes (Diogo Dória).

O eixo da conversa é o episódio do “velho do restelo”, que no próprio interior dos Lusíadas faz a crítica da epopeia, destacando o caráter ilusório e vão de todas as guerras e disputas pelo poder (a “glória de mandar”, a “vã cobiça”). No fim, diz o velho, tudo é derrota – e é esse o sentimento que prevalece na conversa, que busca captar o espírito ao mesmo tempo sublime e patético da história ibérica, sobre uma montagem de imagens de filmes do próprio Oliveira (Amor de perdição‘Non’ ou A vã glória de mandar) e do Don Kikhot (1957) do russo Grigori Kozintsev.

Se tudo o que parece sólido se esfarela, como diz o filme com outras e melhores palavras, o que resta é a fantasia humana, a loucura da criação, os mundos imaginários. Manoel de Oliveira fez sua parte, com brio e brilho.

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Vírus ebola vai chegar à China, alerta cientista

28/10/2014 at 16:18 (*Liberdade e Diversidade)

How Ebola Spreads

28/10/2014

Agência Brasil

Um dos cientistas que descobriu o vírus ebola acredita que a China está sob ameaça devido ao elevado número de trabalhadores chineses na África. “[A situação geral] vai piorar durante algum tempo e depois esperamos que comece a melhorar quando as pessoas estiverem isoladas”, disse Peter Piot, citado pelo jornal de Hong Kong South China Morning Post. O cientista esteve na região administrativa especial chinesa para um simpósio durante dois dias.

Piot, que prevê que a epidemia dure ainda entre seis e 12 meses, lembrou que na África há muitos chineses trabalhando. “Isso pode representar um risco para a China em geral, e assumo que um dia [um surto de ebola na China] vai ocorrer, disse o diretor da London School of Hygiene and Tropical Medicine.

O cientista lembrou que as medidas de controle de infeções nos hospitais da China Continental não estão sempre “de acordo com os padrões”, colocando a saúde pública em risco.

Piot destacou a importância de formar pessoal capaz de identificar passageiros aéreos de risco antes de embarcarem e alertou que as medidas de segurança aplicadas no Aeroporto Chek Lap Kok, em Hong Kong, são insuficientes.

“Rastreio generalizado [à chegada] não é eficaz, para ser honesto. O método mais eficaz é verificar as pessoas antes de entrarem no avião”, acrescentou.

No domingo (26), um homem procedente da Nigéria teve de ser submetido a exames médicos por receio de ser portador do vírus. Os testes acabaram, no entanto, dando negativo.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Obama diz à Dilma que reeleição mostrou “solidez da democracia” do país

28/10/2014 at 16:05 (*Liberdade e Diversidade)

dilma_obama_roberto_stuckert-prPor telefone, Obama diz à Dilma que equipes dos dois países devem preparar a visita da presidenta aos Estados Unidos (Foto:Roberto Stuckert/Presidência da República)

28/10/2014

Brasília

Danilo Macedo – Repórter da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ligou hoje (28) para a presidenta Dilma Rousseff cumprimentando-a pela reeleição. Na ligação, Obama disse que o pleito demonstrou “a solidez da democracia brasileira” e que pretende continuar a trabalhar com a mandatária brasileira, com quem espera encontrar-se por ocasião da reunião do G20, na Austrália, nos dias 15 e 16 de novembro. As informações são da Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

Obama disse que valoriza a parceria bilateral com o Brasil e vê grandes oportunidades de cooperação nas áreas econômico-financeira e de energia. O presidente dos Estados Unidos sugeriu que equipes dos dois países “trabalhem os mecanismos existentes para definir a agenda para 2015, estabelecendo as bases para preparação da visita de Estado da presidenta brasileira aos EUA em momento oportuno”.

No ano passado, Dilma cancelou uma visita de Estado ao país após as denúncias de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA) contra pessoas do governo, incluindo ela própria e empresas estatais, feitas pelo ex-consultor de informática do órgão Edward Snowden. Obama observou que recebeu impressões muito positivas de seu vice, Joe Biden, sobre a reunião que manteve com a presidenta Dilma durante a visita feita ao Brasil, na Copa do Mundo.

De acordo com sua assessoria, a presidenta agradeceu os cumprimentos do colega e disse que a eleição foi importante para o Brasil e para a região. Ela ressaltou ter todo interesse em estreitar laços com os Estados Unidos e que terá satisfação em encontrá-lo na reunião do G20. Dilma também concordou com a importância do trabalho bilateral para preparar uma visita de Estado ao país.

Além de Obama, Dilma recebeu o telefonema, hoje, do presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, que também a cumprimentou pela reeleição e desejou-lhe êxito no novo governo. Dilma agradeceu e disse que, no segundo mandato, manterá como alta prioridade as relações com a África. Ela acrescentou que seguirá com o apoio para a consolidação da democracia e o desenvolvimento econômico e social da Guiné-Bissau.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Nas águas do Rio Taquari,MS

28/10/2014 at 15:23 (*Liberdade e Diversidade)

chalanaChalana percorre o rio Taquari levando arte e cultura para as comunidades ribeirinhas no interior do Estado.Stereo camalote

Levar música,dança,teatro,poesia e diversas outras manifestações culturais alusivas ao folclore sul-mato-grossense até as comunidades que vivem próximas ao rio Taquari, em Mato Grosso do Sul. Este é o objetivo do projeto “Lá vai uma chalana” que começa neste sábado (01/11) em Coxim – a 251 Km de Campo Grande,MS.

Por meio de 15 incursões fluviais, o projeto percorrerá dois municípios, Coxim e Rio Verde – a 195 km de Campo Grande – e 12 comunidades ribeirinhas do Estado, partindo da Ponte Velha e chegando a Ilha do Governador, até o dia 30 de novembro.

Ver matéria completa assinada por Raquel de Souza na edição de hoje (28/10) do jornal “O Estado MS”.

http://www.oestadoms.com.br

***

*Comentário do blog: Belezura!

*****

Link permanente Deixe um comentário

Fóssil de 39 mil anos de mamute filhote encontrado na Sibéria entra em exposição em Moscou

28/10/2014 at 14:31 (*Liberdade e Diversidade)

filhote de mamuteO fóssil entrou em exposição em Moscou, na Rússia, a partir desta terça-feira (Foto: Ivan Sekretarev / AP)

O pequeno mamute tinha entre oito e onze anos quando morreu na Sibéria há 39 mil anos

28 de outubro de 2014

Terra

mamute

Mamute adulto

A Sociedade de Geografia Russa colocou em exposição, em Moscou, a partir desta terça-feira, o fóssil inteiro de um mamute encontrado por paleontólogos na Sibéria. O fóssil tem 39 mil anos e foi preservado pelo gelo do local. As informações são da AP.

Segundo os cientistas, que nomearam a pequena mamute de Yuka, este é o fóssil mais bem preservado já encontrado em toda a história mundial. O filhote tinha entre oito e onze anos quando morreu na costa Yukagir.

Os restos mortais de Yuka foram inicialmente encontrados há quatro anos.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Para relembrar a música do Grupo Acaba em Campo Grande,MS

28/10/2014 at 11:59 (*Liberdade e Diversidade)

Para relembrar o Grupo Acaba, que se apresentou ontem (28/10/2014) no Teatro Glauce Rocha, em Campo Grande,MS

Canta Dores do Pantanal.

Grupo Acaba é um grupo de música regional de raiz de Mato Grosso do Sul, fundado em 1969 em Campo Grande com o objetivo de pesquisar, desenvolver e divulgar o folclore do antigo Estado de Mato Grosso e atual Mato Grosso do Sul. O Pantanal e o homem pantaneiro são o tema de sua música. Em suas letras, as composições do Grupo Acaba, coletiva e individualmente, descrevem homem, a fauna e a flora, e em nossas canções, a alegria das cores e as dores da raça pantaneira, conforme eles mesmos dizem.

Com uma sólida carreira com mais de trinta anos de atividades artísticas, apesar de se constituir num trabalho pioneiro no campo da pesquisa, vivência e observação das manifestações culturais e folclóricas da região pantaneira, o grupo sempre coloca em debate a defesa da cultura, do  meio ambiente e da raça.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Jornalismo, segundo a Folha: Já pensou em ser jornalista?

28/10/2014 at 11:06 (*Liberdade e Diversidade) ()

logo-observatorio1

logo-observatorio2

 

 

jornalista (1)Por Leandro Marshall* em 28/10/2014 na edição 822

Folha de S.Paulo nem se dá mais ao trabalho de disfarçar sua opção pela liberalização da profissão de jornalista no Brasil. Graças à “queda” na exigência do diploma decretada pelo STF, por oito votos a um, em sessão no dia 17 de junho de 2009, a empresa jornalística paulista, administrada pela família Frias, está aceitando, em seus quadros profissionais, trabalhadores oriundos de “qualquer área” de formação universitária, seja das ciências humanas, seja das ciências exatas. Não é preciso sequer ter concluído o ensino superior. A Folha aceita currículos de jovens estudantes universitários, inclusive do primeiro semestre.

O que importa para a Folha é moldar, burilar e formar, dentro de seus critérios e padrões de referência jornalística, os futuros profissionais da informação. A empresa jornalística acredita assim que ela própria pode desempenhar o papel das universidades, especialmente dos cursos de jornalismo, para “ensinar” as técnicas e os procedimentos donewsmaking para os novos agentes do processo de mediação social da notícia.

Sabe-se que há muitos países do mundo, principalmente na Europa, que não exigem diploma universitário para o exercício da profissão. E que existem muitas nações em que os cursos são meramente tecnicistas, como é o caso da Espanha, e países onde o aprendizado tem curta duração, como é o caso dos Estados Unidos, em que a formação não dura mais do que dois anos.

Basta “olho clínico”

A convocação da Folha de S.Paulo a qualquer cidadão brasileiro (estudante universitário ou formado em qualquer área) para que participe do seu programa de “treinamento” em jornalismo traz como principal “novidade” a intenção da empresa em se tornar ela própria uma instituição formada de mão de obra intelectual, voltada para o exercício do jornalismo.

A prova disso está no texto de suas chamadas publicitárias, em que ela (a empresa) se arvora o papel de ser uma empresa profissionalizante, na medida em que convida o jovem para que “venha aprender jornalismo no maior jornal do país”.

Ao que parece, a visão da Folha sobre o exercício da profissão jornalística alinha-se perfeitamente com o pensamento da esmagadora maioria dos ministros do Supremo naquela votação de 2009. Na época, Carlos Ayres Britto disse, por exemplo, que o jornalismo pode ser exercido tanto por que aqueles que “optam por se profissionalizar na carreira” ou simplesmente por aqueles que “apenas têm ‘intimidade com a palavra’ ou ‘olho clínico’ para a informação”.

*Leandro Marshall é jornalista, escritor e professor

***

Comentário do Blog: É mole?

*****

Link permanente Deixe um comentário

Imagem do dia: Entulhos se espalham nas ruas de Campo Grande,MS

28/10/2014 at 10:25 (*Liberdade e Diversidade)

Sem títuloPrefeitura reconhece o problema e diz que vai contratar serviço de limpeza na semana que vem. Ver reportagem completa de Rosana Moura no Correio do Estado de hoje (28/10).

http://www.correiodoestado.com.br

***

Comentário: O problema também é que as chuvas estão chegando e com elas os mosquitos Aedes transmissores da dengue e da  febre chikungunya. E durma-se com um barulho desses…

*****

Link permanente Deixe um comentário

Estudo investiga diagnóstico de Alzheimer pelos olhos

28/10/2014 at 09:43 (*Liberdade e Diversidade) ()

AlzheimerOs pesquisadores escoceses acreditam que mutações em veias oculares podem revelar indícios de ocorrência do Alzheimer (Foto: BBC)

Objetivo é viabilizar a detecção da doença

28 de outubro de 2014

BBC Brasil / Diário Digital MS

Pesquisadores das universidades de Dundee e Edimburgo, na Escócia, realizarão um estudo que pretende revolucionar o diagnóstico da doença de Alzheimer. O objetivo é viabilizar a detecção da doença degenerativa a partir de exames de vista. Pesquisas prévias sugerem que mudanças nas veias e artérias oculares podem estar ligadas à ocorrência de derrames e doenças cardíacas.

Envelhecimento

O estudo das universidades escocesas quer descobrir se tais alterações também não poderiam ser um “alerta prévio” para o Alzheimer, mal que atinge mais de 35 milhões de pessoas no mundo, segundo estatísticas da ONG Alzheimer’s Disease International.

Com o uso de um software especialmente desenvolvido para o projeto, os pesquisadores vão analisar imagens em alta definição de olhos e também estudar uma base de dados médicos do Ninewells Hospital, o maior hospital universitário da Europa.

Para o líder do estudo, Emanuele Trucco, a importância do projeto está na possibilidade de diagnósticos preventivos baratos. “Estamos examinando a possibilidade de podermos examinar os olhos de um paciente usando equipamento que não custa uma fortuna para termos a chance de descobrir o que pode ser o risco de demência”, explica Trucco. “Além de não ser um método invasivo, poderemos ainda estudar o uso do teste para diferenciar os tipos variados de demência”.

O projeto custará cerca de R$ 4 milhões e a verba foi doada ao Conselho de Pesquisas em Engenharia e Ciência, uma agência do governo da Grã-Bretanha. “O país enfrenta um grande desafio nas próximas décadas. Temos uma população envelhecendo e um provável aumento no número de casos de demência”, explica Philip Nelson, presidente da agência. Com início previsto para abril de 2015, o estudo terá duração de três anos.

Leia mais em:

http://www.diariodigital.com.br/geral/estudo-investiga-diagnostico-de-alzheimer-pelos-olhos/121504/

*****

Link permanente Deixe um comentário

Boletim da falta d’água em São Paulo (Leitura da manhã)

28/10/2014 at 09:20 (*Liberdade e Diversidade) ()

Falta dágua em sampaUma empresa que fabrica caixas d’água registrou aumento de 50% na demanda e indústrias em outros estados agora trabalham para atender aos pedidos de São Paulo

O dia em que se falou em evacuar a cidade, estimulou-se a cobiça dos fabricantes de caixas d’água e ficou nítido o espanto da mídia

27/10/14

by Antonio Martins

Por Camila Pavanelli de Lorenzi, em sua página no Tumblr*

– Era uma vez um prefeito que recebeu a notícia de que a cidade que ele governava teria de ser evacuada por falta d’água. Estupefato, o prefeito indagou: cumequié? Então lhe disseram que não era nada daquilo, que estava tudo bem agora.

– O prefeito era Haddad e a cidade era São Paulo (http://bit.ly/1DTdpwL).

– Mas a notícia da evacuação de São Paulo nem nova é: há 3 dias, foi divulgado um áudio em que um diretor da Sabesp admite, meio de brincadeira, meio a sério (cabe ao leitor/ouvinte decidir qual é a parte do riso e qual a do choro), que se não chover nos últimos meses de 2014, a Sabesp dará férias coletivas para os habitantes de São Paulo (http://bit.ly/1wl1O8O).

– A única novidade na notícia de hoje, então, é que a “brincadeira séria” do diretor da Sabesp saiu da sala de reuniões da empresa e chegou ao gabinete de Haddad.

Seguem outras notícias de hoje, ainda na linha editorial “implodindo os limites entre comédia e tragédia”:

– Enquanto uns choram, outros vendem lenço: uma empresa que fabrica caixa d’água registrou um aumento de 50% na demanda (quando exatamente? a matéria não diz), e fábricas em outros estados agora trabalham para atender aos pedidos de São Paulo:

‪#‎SPLocomotivaDoBrasilFaçaChuvaOuFaçaSeca (http://bit.ly/1tdNZqC);

– A página do Facebook da Prefeitura de São José dos Campos aproveitou que estava chovendo para pedir aos amigos internautas que guardassem uma aguinha de recordação. A postagem foi apagada após ter sido considerada “tendenciosa” e ter “exaltado os ânimos” dos amigos internautas. O prefeito da cidade é do PT (http://bit.ly/1yFYK52);

– Enquanto isso, parte da nossa imprensa continua abismada que a chuva não vem colaborando: “Nem mesmo a chuva de média intensidade ocorrida ontem (26) foi suficiente para conter a queda gradual que se observa do nível de água dos reservatórios da Sabesp” (http://bit.ly/ZVKU2f – ver postagem de 27/10, 10:57);

– É compreensível: que ponha a mão no fogo quem nunca achou que iria aprender inglês em duas semanas, emagrecer em cinco dias e amarrar o grande amor em três. Perto desses ambiciosos projetos, salvar o Sistema Cantareira com a chuvinha do fim de semana até que soa modesto.

E esse foi o boletim de hoje. Pode entrar em pânico que amanhã tem mais.


* Camila Pavanelli criou o blog “recordar, repetir e elaborar” para fazer da lição freudiana seu modo de escrever sobre política, culinária, sobre sua avó e seus amores — tudo isso sem perder de vista que o mundo todo é feito de relações de poder e afetos. Espanta-se com a passividade de São Paulo, antiga “locomotiva do país” diante da reaparição de um problema que fora resolvido há duzentos anos. Para lançar o alerta, criou este “Boletim”, que redige selecionando e reinterpretando notícias publicadas nos jornais.

Read more of this post

*****

Link permanente Deixe um comentário

Next page »