Chuva chega com vendaval e granizo para várias cidades de MS e ameniza calor

19/10/2014 at 22:26 (*Liberdade e Diversidade)

Tornado em Porto MurtinhoTornado em Porto Murtinho causou morte de 13 pessoas.Michel Morel

19/10/2014

Pedro Heiderich / Midiamax news

O tempo quente e seco tem provocado vendavais em Mato Grosso do Sul nesta primavera. E o meteorologista Natálio Abrão alerta: vem mais. “Esses eventos climáticos são comuns nesta estação e ocorrerão outras vezes”, alerta.

Natálio explica a causa dos vendavais e redemoinhos que ocorreram no Estado. “A energia do solo está alta, devido às altas temperaturas e à baixa umidade”. Esta semana foi uma das mais quentes da história de MS: 9 cidades registraram temperaturas acima de 40.

O Estado tem sido palco de fenômenos climáticos nos últimos 30 dias. O mais trágico foi tempestade com ventos de até 93 km/h em Porto Murtinho, no fim de setembro. Barco-hotel naufragou e deixou 13 mortos, casas foram destelhadas e árvores derrubadas no município.

Na noite deste sábado (18), em Maracaju, vendaval destelhou casas e derrubou árvores, além de causar queda de energia em pontos da cidade. Não houve feridos.

A Capital também não ficou de fora. Nesta terça-feira (14), redemoinho de areia na região do Aeroporto chamou a atenção da população. Moradora da Vila Piratininga também relatou ter visto redemoinho que durou poucos segundos.

Notícias relacionadas:

Ventos fortes que assustaram a população de Maracaju devem voltar neste domingo

Chuva chega com vendaval e granizo para várias cidades de MS e ameniza calor

Tornado em Porto Murtinho causou morte de 13 pessoas.Michel Morel

Em seis dias seguidos, MS registra temperaturas acima de 40 graus em 9 cidades

VÍDEO: moradora tem casa destelhada por ‘redemoinho relâmpago’ na Vila Piratininga

VÍDEO: redemoinho de areia perto do Aeroporto chama a atenção de campo-grandenses

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Universidades públicas vão ofertar 9,1 mil vagas em MS

19/10/2014 at 18:17 (*Liberdade e Diversidade)

ufms-pr1  Provas para ingressar em instituições acontecem nos dias 8 e 9 de novembro                                      (Foto: Paulo Ribas / Correio do Estado (arquivo))

19 de Outubro de 2014

CORREIO DO ESTADO / DA REDAÇÃO

Mato Grosso do Sul tem 162.876 inscritos para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontecem nos dias 8 e 9 de novembro. No entanto, as quatro universidades que aceitam alunos usando as notas do exame devem abrir apenas 9.114 vagas para 2015. Assim, a concorrência deve alcançar 17,8 candidatos por vaga. No entanto, é possível que as mais de 9 mil não se efetivem, já que, para o primeiro semestre de 2015, apenas as 48 vagas para o curso de Medicina da Universidade Estadual de MS (UEMS) estão confirmadas.

As outras instituições – Universidade Federal (UFMS), Federal de Dourados (UFGD) e Instituto Federal (IFMS) – não confirmaram se terão cursos ou vagas novas para o próximo ano. Mas, no começo deste ano, O Ministério da Educação (MEC) autorizou 90 vagas para Medicina na UFMS e na UFGD, das quais 60 são destinadas à Federal de MS em Três Lagoas e mais 20 em Campo Grande, além de mais 10 vagas na Federal da Grande Dourados.

Assim, somadas todas as vagas previstas para 2015, as três universidades devem abrir 138 vagas novas em relação às que foram ofertadas para este ano. Nas duas edições de seleção – verão e inverno – as quatro instituições ofereceram 8.976 vagas. Se forem somadas as novas 318, este total sobe para 9.114, o que corresponde a um crescimento de apenas 1,5%.

Vale ressaltar que as vagas são abertas em dois períodos distintos: as primeiras logo no início do ano e as segundas por volta do mês de junho, meio do ano. Para se ter uma ideia, no ano passado foram 8.006 vagas nas vagas de verão e mais 970 para o inverno. As possíveis 9.114 também serão divididas assim, das quais a grande maioria será aberta no começo de 2015. Todas as vagas são para ingresso via Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do governo federal.

A UFMS é sempre a instituição superior que mais oferece vagas. Para este ano, foram 5,2 mil vagas, das quais 4.425 são para o início de 2014 e 775 para o mês de junho. A UEMS ofereceu 2,3 mil vagas, a UFGD 961 e o IFMS 540. Em contato com cada uma destas instituições, a Estadual informou que as 48 vagas de Medicina se mantêm previstas para 2015. O IFMS afirmou que ainda não há dados sobre as vagas disponíveis para o ano que vem. A UFGD acredita que para 2015 serão ofertadas 962 vagas via vestibular tradicional e mantêm-se as 961 disponibilizadas via Sisu. Já a UFMS não respondeu o e-mail encaminhado pela reportagem com os questionamentos.

*****

Link permanente Deixe um comentário

O estranho caso dos vídeos proibidos (Denúncia)

19/10/2014 at 16:57 (*Liberdade e Diversidade)

Captura-de-Tela-2014-10-14-às-19.40.18-485x259Judiciário tira da internet três obras (entre elas, um trabalho acadêmico) que denunciavam atos de Aécio Neves. Lei brasileira dá a políticos e juízes “direito” de censura

16 DE OUTUBRO DE 2014

Por Kiko Nogueira, no DCM / Outras Mídias

O documentário “Helicoca — o helicóptero de 50 milhões de reais”, produzido pelo DCM, foi retirado do YouTube por causa de uma reivindicação de direitos autorais.

O responsável pelo pedido, certo “Jorge Scalvini”, não existe. É um perfil fake da internet. Recorremos ao Google há uma semana, mas até agora nada. Isso é resultado de uma prática kafkiana chamada “notice and take down”, em que o autor é obrigado a provar ao YouTube que existe, enquanto o denunciante só necessita de um CPF.

A derrubada do “Helicoca” está longe de ser um episódio isolado. Há pelo menos dois casos similares. Ambos envolvem Aécio Neves.

O primeiro é o do instigante “Liberdade, Essa Palavra”, filme sobre o qual já falei aqui. Foi o trabalho de conclusão do curso de jornalismo de Marcelo Baêta. “Liberdade…” trata da relação da imprensa mineira com o governo de Aécio em seu primeiro mandato (2003/2006).

São várias histórias sobre a pressão da administração aecista sobre jornalistas e as demissões que decorreram dela. Andrea Neves, irmã e braço direito, é um dos personagens principais. Na época, o PSDB mineiro colocou no ar uma resposta acusando Baêta de “petista” e seu trabalho de “manipulação” e “fraude”.

O original de “Liberdade, Essa Palavra” (um verso de Cecília Meireles) foi abatido do YouTube por causa de — adivinhe — reivindicação de direitos autorais.

A trajetória de “Gagged in Brazil” (“Amordaçados no Brasil”) não é muito diferente. Foi escrito e dirigido por Daniel Florêncio para a Current TV, canal por assinatura e portal da web criado por Al Gore.

Tema e período são os mesmos da obra de Baêta. Daniel mostra a cumplicidade da mídia com o projeto de poder de Aécio. Uma editora da TV Globo aparece, sem ser identificada, relatando que a emissora esperava que Aécio estivesse “do lado da Globo”.

Uma matéria no Jornal Nacional elogiava o “déficit zero” nas contas públicas do estado. Logo após a “notícia” narrada por Fátima Bernardes, entrava nos comerciais um anúncio do governo de MG repetindo quase ipsis verbis o que a âncora relatara.

“Gagged” foi ao ar na Current TV no Reino Unido e nos EUA em maio de 2008. Uma semana mais tarde, foi postado no YouTube, com legendas, e bombou em pouco tempo.

Quatro meses depois, sairia da Current.com. Florêncio — que mora em Londres há dez anos — escreveu no Observatório de Imprensa que sua editora lhe esclareceu o seguinte: “Os executivos seniors do canal nos EUA receberam cartas com severas considerações e críticas sérias em relação ao filme. As cartas foram enviadas pelo PSDB de Minas Gerais. O PSDB afirmava que meu filme tinha caráter político-partidário, que não representava a realidade no estado e questionava minha conduta ética”.

Por desejo do diretor de programação David Newman, o gerente de jornalismo Andrew Fitzgerald deu início a uma investigação. “Elaborei dossiês, contatei minhas fontes no Brasil, e escancarei meus procedimentos para Andrew Fitzgerald”, diz Daniel. Fitzgerald o avisaria, afinal, que “Gagged in Brazil” estava de volta à Current TV.

No YouTube, porém, o desfecho foi outro. No dia 3 de fevereiro deste ano, Florêncio recebeu um alerta de um desconhecido, querendo saber o que houve com o filme. Quando clicou no link, pumba!: infração de copyright, requisitado por certo Gabriel Amâncio. Ganha um pão de queijo quem acredita que Gabriel Amâncio é um cidadão de carne, osso, miolos e músculo.

Como no caso de “Liberdade”, outras versões estavam disponíves. Mas a eliminada contava com quase meio milhão de visitas, além dos links em sites, blogs e nas redes sociais. Na internet, a relevância varia de acordo com o número de links e visitas. O objetivo era fazer com que o documentário se tornasse irrelevante no Google, Bing, Yahoo etc.

O PSDB perpetrou um vídeo-resposta a “Gagged” que explodiu milagrosamente no YouTube. Os comentários, veja só que curioso, eram de países da Ásia, África, Europa. Todos falsos. Daniel explicou a ciência por trás dessa façanha num outro filme curto, que eu posto abaixo. Basicamente, é um spam. Assista enquanto Jorge Scalvini não dá as caras.

Aécio tem processos contra Facebook, Twitter e Google. Quem o representa é o escritório de advocacia Opice Blum, tido como autoridade em direito digital. Segundo um perfil do candidato na Piauí, seu contrato é como pessoa física.

Uma advogada afirmou à revista que as ações contra buscadores fazem referência a “uma mentira que espalharam na rede dizendo que o senador é acusado em ação judicial promovida pelo Ministério Público de ter desviado 4,3 bilhões de reais”.

Foi o Opice Blum que moveu a ação contra o Twitter para descobrir os dados cadastrais de 66 contas que, supostamente, fariam parte de uma “rede virtual de disseminação de mentiras e ofensas”. Uma dessas contas é a do DCM.

Noves fora a onda de repulsa que essas arbitrariedades causam, a cada vídeo retirado aparecem outros, num efeito multiplicador. O “Helicoca”, por exemplo, tem cinco versões no YouTube no momento em que digito estas maltraçadas. Sem contar as do Vimeo e as do Daily Motion. Existem outras tantas de “Gagged” e de “Liberdade, Essa Palavra”.

Já dizia a fabulosa Hannah Arendt: “Somente quando as coisas podem ser vistas por muitas pessoas, numa variedade de aspectos, sem mudar de identidade, de sorte que os que estão à sua volta sabem que vêem o mesmo na mais completa diversidade, pode a realidade do mundo manifestar-se de maneira real e fidedigna”.

Marina Silva citava Hannah Arendt com frequência. Não sei se Aécio Neves tem ideia de quem se trata.

Veja os vídeos:

*****

Link permanente Deixe um comentário

Eleições segundo turno no MS: Reinaldo Azambuja mantém vantagem

19/10/2014 at 16:13 (*Liberdade e Diversidade)

Reinaldo e DelcídioReinaldo Azambuja mantém vantagem bastante semelhante à divulgada na semana passada. Fonte: Instituto Vale/SBT-MS.

A uma semana da eleição Reinaldo Azambuja tem 56,56% e Delcídio Amaral 43,44%, considerando-se apenas votos válidos. Pesquisa registrada do TRE/MS. MS-0068/2014. Data do registro: 13/10/2014.

Domingo, 19 de outubro de 2014

Jornal de Domingo / Campo Grande,MS

A sete dias da eleição, o deputado Reinaldo Azambuja mantém vantagem bastante semelhante à divulgada na semana passada. Nesse levantamento do instituto Vale, contratado pelo SBT, registrado no TRE/MS MS-0068/2014 com data do registro de 13/10/2014, o tucano marca 56,56%, enquanto o senador Delcídio Amaral (PT) chega a 43,44%. Os números são bastante próximos aos da última semana, sendo que Reinaldo oscilou 0,53% para cima e o senador petista para baixo, os mesmos 0,53% que Azambuja subiu. Ou seja, a pesquisa parece mostrar que Reinaldo tirou esses 0,53% de Delcídio, pois o número é exatamente igual. Esse “crescimento” não pode ser interpretado como tal, mas como oscilação positiva, por estar totalmente dentro da margem de erro, e por ser um número inclusive abaixo de um por cento.

Mais ainda, a pesquisa indica que a saraivada de críticas em direção a Azambuja não surtiu o efeito desejado, pois os indicadores do levantamento estão, inclusive, na mesma casa decimal para Delcídio ou Reinaldo, o que pode ser traduzido assim: depois de tudo o que aconteceu, apenas milimétrico 0,53% do eleitorado se mexeu, e em favor do tucano. Por essa pesquisa pode-se dizer que Reinaldo ganhou uma semana. Há dois indicativos, porém, que sofreram alteração, pouco acima da margem de erro, e que já são passíveis de registro. Confira os gráficos da pesquisa na galeria de imagens acima.

Espontânea

Aqui Reinaldo cresce de 35,12% da pesquisa anterior, para 38,18%, o que significa que dentre os eleitores que já decidiram seu voto, e não precisam ser lembrados sequer dos nomes dos candidatos, ele subiu 3,06%. Nesse questionário está o único momento em que houve uma alteração acima dos 3%, em toda a pesquisa.

A intenção de voto estimulada no universo bruto, ou seja, computando-se brancos, nulos e indecisos, mostra ambos oscilando positivamente. Reinaldo com oscilação de 1,23% para cima, indo de 49,18% na semana passada para 50,41% nesta semana, e Delcídio Amaral saindo de 37,12% na semana passada para 37,29% neste domingo, um ganho de 0,17%.

Rejeição

Aqui o único item em que Delcídio teve um pequeno ganho. O petista tem 48,35% de pessoas que não votam nele de jeito nenhum, sendo que na semana passada eram 51,12%; nesse item ele regrediu 2,77%. Já Reinaldo é rejeitado por 36,16% essa semana, enquanto domingo passado era por 36,71%, uma oscilação de 0,55% em seu desfavor. Comparando-se ambos na forma clássica, Reinaldo tem uma rejeição 12,17% menor que a de Delcídio.

Carruagem quase estática

evoluçãoO resultado da pesquisa Vale/SBT divulgada ontem, deixa claro que pouca coisa mudou desde o último domingo. O senador Delcídio Amaral (PT), que fechou o primeiro turno com 42,92%, tem hoje 43,44%, enquanto Reinaldo Azambuja, que encerrou a primeira fase da eleição com 39,09%, chega a 56,56%, numero bastante parecido com o do levantamento que divulgamos na semana passada. A leitura é clara: Delcídio mantém um percentual pouco superior ao que teve no primeiro turno, e Reinaldo agregou o que Nelsinho Trad obteve (16,94%) e mais um pouco, tendo crescido 17,47% do dia 5 de outubro até hoje. Azambuja acrescentou os votos que Nelsinho obteve mais 0,53%. Se a metodologia do Instituto Vale, que acertou no primeiro turno, estiver novamente correta, pode-se dizer que não havendo nenhum fato de gravidade ou deslize contundente de um dos dois candidatos, esta eleição pode estar perto de ter seus números definidos. Ambos os candidatos, Reinaldo e Delcídio, parecem ter atingido seus tetos.

Na capital, Reinaldo oscila 1,67% para cima

Em Campo Grande, Reinaldo Azambuja (PSDB) tem hoje 64,69%, exatos 1,67% a mais do que os 63,02% da semana passada. Já Delcídio Amaral (PT) ficou com 35,31%, um pequeno declínio de 1,68%, comparando-se com o número do último domingo. Esse percentual está dentro da margem de erro, mas tem algo digno de nota. Enquanto Reinaldo oscilou 1,67% para cima, Delcídio foi para baixo 1,68%, o que mostra que os dados são praticamente iguais, podendo se concluir que em Campo Grande alguns votos migraram do petista para o tucano.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Igreja não deve temer mudança, diz papa Francisco

19/10/2014 at 15:49 (*Liberdade e Diversidade)

Papa FranciscoO papa Francisco depois da missa em que Paulo VI foi beatificado (Filippo Monteforte/AFP)

19/10/2014

Reuters / MSN

CIDADE DO VATICANO – O papa Francisco encerrou neste domingo uma assembleia de bispos católicos que revelou as profundas divisões sobre como tratar homossexuais e pessoas divorciadas, dizendo que a Igreja não deve temer mudanças e novos desafios.

Franscisco, que já disse querer uma Igreja mais misericordiosa e menos rígida, fez seus comentários em um sermão para cerca de 70 mil pessoas na Praça de São Pedro, no cerimonial de encerramento do encontro de duas semanas, conhecido como sínodo.

As sessões do encontro terminaram na noite de sábado com um documento final que reverteu a aceitação histórica dos gays pela Igreja, um resultado que alguns progressistas vêem como um retrocesso para o papa Francisco.

Na missa, ele beatificou o Papa Paulo VI, que morreu em 1978. Com a beatificação, o pontífice mais conhecido pela conclusão das reformas do II Concílio do Vaticano e que consagrou a proibição da Igreja sobre a contracepção, ficou mais próximo da santificação.

Depois que um esboço do documento final do sínodo foi lançado na segunda-feira, os bispos conservadores prometeram alterar os termos sobre homossexuais, coabitação e novo casamento, dizendo que iriam criar confusão entre os fiéis e que ameaçavam prejudicar a família tradicional.

O papa Francisco dedicou a maior parte de seu sermão ao sínodo, que abordou temas como o homossexualismo, divórcio, novo casamento e casais do mesmo sexo, antes de um encontro definitivo em outubro, depois de discussões no nível local ao redor do mundo.

“Deus não teme coisas novas. É por isso que ele está continuamente nos surpreendendo, abrindo nossos corações e nos guiando em caminhos inesperados”, disse o papa em seu sermão.

(Reportagem de Philip Pullela)

*****

Link permanente Deixe um comentário

Aécio diz que é ‘evolução’ Dilma ter admitido desvios na Petrobras

19/10/2014 at 12:42 (*Liberdade e Diversidade) ()

aecioCandidato Aécio Neves fez campanha em Copacabana, no Rio de Janeiro (Foto: Henrique Coelho)

19/10/2014

Henrique Coelho Do G1 RJ

‘Candidato do PSDB, no entanto, disse que ainda faltam providências
Tucano fez carreata de campanha neste domingo em Copacabana.

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, comentou neste domingo (19) o fato de a presidente Dilma Rousseff ter admitido que houve desvio de dinheiro da Petrobras por meio de esquema de corrupção. Para Aécio, a fala da presidente foi uma “evolução”. Ele disse, no entanto, que ainda faltam ser tomadas providências sobre o suposto esquema na estatal.

Neste sábado (18), Dilma comentou as denúncias na Petrobras. Ela lembrou que já pediu ao Ministério Público a transcrição dos depoimentos do ex-diretor de Refino e Abastecimento Paulo Roberto Costa, que firmou acordo de delação premiada ter a pena reduzida em troca de passar informações sobre o suposto esquema. Dilma disse que fará o possível para “ressarcir o país”. Se houve desvio de dinheiro publico, nós queremos  ele de volta. Se houve [desvio], não. Houve, viu?”, declarou Dilma na ocasião.

Aécio falou sobre a declaração da presidente em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, antes de participar de uma carreata por Copacabana.

“Vejo evolução nesse fato dela admitir. Quando houve o pedido da CPI da Petrobras, o PT disse que era um factoide, e os fatos estão aí. Mas as providências  ainda não foram tomadas”, disse o candidato.

Aécio também criticou o tom dos recentes debates na TV com a presidente Dilma. Para ele, as discussões devem ser em torno de propostas. Aécio e Dilma vêm trocando ataques cada vez mais intensamente nesta reta final de campanha.

“Faço um convite para debater propostas. É preciso uma briga de ideias, e não de pessoas. Vamos mostrar como superar indicadores sociais, melhorar os índices da indústria, entre outros aspectos”, afirmou Aécio, que participará do debate da TV Record neste domingo.

Entre os apoiadores de Aécio que acompanharam o candidato em Copacabana estavam o senador eleito em São Paulo, José Serra, o candidato a vice na chapa de Pezão ao governo do Rio, Francisco Dornelles, o técnico de vôlei Bernardinho, o presidente do PPS, Roberto Freire, e o ex-jogador Ronaldo.

Saiba mais:

Dilma admite desvio na Petrobras e diz que busca ressarcimento ao país

*****

Link permanente Deixe um comentário

Campo Grande, MS: Mambembe Trupe Teatral apresenta teatro acessível

19/10/2014 at 12:14 (*Liberdade e Diversidade)

mambembeAtrizes do Mambembe Trupe Teatral interpretam Maçaroca e Muriçoca, e espetáculo será feito em linguagem de sinais (Foto: Lívio Bozzano/Divulgação)

O Estado MS online

19 de outubro de 2014

A Mambembe Trupe Teatral apresentará, às 18h de hoje (19),  no Teatro Aracy Balabanian uma iniciativa pioneira em Mato Grosso do Sul. O espetáculo “Circo Las Muchachas” de maneira inclusiva, para que surdos e ouvintes possam aproveitar da mesma maneira. Para isso ele será encenado em libras e oralizado, e possui linguagem simplificada para pessoas com deficiência intelectual, trazendo mensagem curtas e diretas através de técnicas circenses. “É um projeto que está implementando um direito que é de todos, todas as pessoas têm direito a ter acesso à cultura, ao teatro, à arte”, justifica a produtora executiva Renata Macedo.

Renata é também a idealizadora do projeto Teatro Acessível, que surgiu quando ela foi convidada para representar a região Centro Oeste na especialização em Acessibilidade Cultural oferecida pela UFRJ (Universidade Federal Do Rio de Janeiro). Após um longo processo, que durou mais de um ano, Renata voltou a Campo Grande e estudou por seis meses como colocar em prática seu projeto. Para a segunda fase, que deve ser realizada em breve, a ideia é disponibilizar também áudio-descrição, legenda, material gráfico em braile, letras em contraste e relevo, tour tátil pelo palco, dentre outros recursos. “Essa é só a primeira etapa, nossa ideia é alcançar outras deficiências também”, adianta a produtora.

A coordenadora do CAS (Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez) Suliane Kelly Aguirre afirma que é a primeira vez que um espetáculo desse porte está sendo feito para esse público, e destaca a importância da ação. “Eles vão ter realmente o acesso à cultura, e a importância é abrir caminhos, porque o público com surdez não tem essa visão de teatro, então vai mudar o horizonte deles”, relata. Outras produções já tinham vindo a Campo Grande com intérprete para a língua de sinais, mas Suliane conta que muitas vezes isso tira o foco do espetáculo em si. O CAS apoiou o projeto desde início, e as atrizes fizeram aula de Libras (Língua Brasileira de Sinais) no local.

Valorização da mulher

Além de seu caráter inclusivo, “Circo Las Muchachas” busca também quebrar paradigmas e mostrar que a mulher tem ocupado seu espaço, passando mensagens que buscam o não-sexismo e o fim do pensamento machista, através de uma mistura de circo, teatro, música e bonecos. O espetáculo é comandando e estrelado somente por mulheres, e as palhaças Maçaroca e Muriçoca apresentam números circenses como malabarismo, acrobacias, ilusionismo, equilibrismo e muito mais. A plateia é constantemente convidada a entrar no picadeiro, podendo fazer parte do show. Apesar de ser adaptado para pessoas com deficiência auditiva, a produtora esclarece que a apresentação é aberta a todos. “Nossa ideia é incluir, não segmentar”, finaliza Renata.

Os ingressos estão à venda na Maciel Livros Usados da rua 14 de Julho, no CAS (Centro de Atendimento ao Surdo) e no stand Educação e Cia, que fica no Shopping Campo Grande. Eles custam R$ 7, e na hora do espetáculo serão vendidos a R$ 15.

SERVIÇO – O Teatro Aracy Balabanian fica na rua 26 de Agosto, 453. Mais informações: (67) 3346-0153.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Consolidar a revolução democrática votando Dilma (Leitura do domingo)

19/10/2014 at 11:37 (*Liberdade e Diversidade)

Leonardo Boff - 2

Leonardo Boff / Jornal do Brasil

19/10/2014

A presente campanha presidencial em segundo turno coloca em jogo algo fundamental na história brasileira: a nossa primeira revolução popular, democrática e pacífica conquistada no voto, com a chegada de Lula à Presidência. Não ocorreu apenas a alternância do poder, mas uma alternância de classe social. Um representante dos “lascados” e sempre colocados à margem chegou ao mais alto cargo da nação como fruto do PT, de aliados e de grande articulação de movimentos sociais e sindicais e continuado por Dilma Rousseff.

Como afirmava o notável historiador José Honório Rodrigues em seu ‘Conciliação e Reforma no Brasil’ (1965): ”os interesses do povo foram descuidados pela liderança; daí as lutas, as rebeldias, a história cruenta, o compromisso e a conciliação; revolução no sentido de transformação da estrutura econômica, do regime de terras, da mudança de relações sociais, nunca tivemos; o grande sucesso da história do Brasil é o seu povo e a grande decepção é a sua liderança”. Continua José Honório: ”as vitórias do povo são objetivas e incontestáveis…; o Brasil deve ao povo a unidade política, a integração territorial, a mestiçagem, a tolerância racial, a homogeneidade religiosa, a integração psicossocial, a sensibilidade nacional muito viva que exige um abrasileiramento das próprias contribuições estrangeiras” (p.121-122).

Com Lula e Dilma se inaugurou esta revolução que é ainda inacabada, mas que deve ser consolidada e aprofundada. Oxalá nessa eleição ela não seja malbaratada pela vitória de quem representa a velha política oligárquica mais interessada no crescimento econômico, no mercado e articulada com a macroeconomia globalizada do que no destino daqueles milhões que foram tirados da pobreza pelas políticas republicanas e foram feitos sujeitos sociais participativos na sociedade.

Daí ser importante que Dilma vença para garantir, consolidar e enriquecer com um novo ciclo de transformações essa revolução inaugural.

Nos primórdios da colonização o cronista oficial Pero Vaz de Caminha escreveu que aqui “em se plantando tudo dá”. Os cinco séculos de história ainda à luz do paradigma europeu mostraram o acerto de tal afirmação. Aqui tudo pode dar e deu para ser a mesa posta para as fomes do mundo inteiro. Por que não irá dar certo um projeto-Brasil novo, democrático, social, popular, ecológico, ecumênico e espiritual?

O povo brasileiro se habituou a “enfrentar a vida” e conseguir tudo “na luta”, quer dizer, com dificuldade e muito trabalho. Por que não irá “enfrentar” também esse grande e derradeiro desafio colocado em seu caminho? Como não conquistá-lo “na garra”, com a consciência solidária, com a organização, com a vontade de empoeirar-se para garantir o poder de estado, já por 12 anos, a fim de dar-lhe o verdadeiro sentido de fazer as mudanças necessárias, primeiramente para os mais esquecidos e a partir deles, a todos, conferindo-lhes sustentabilidade e garantindo-lhes um futuro bom para o país.

Esse caminho já foi traçado, embora falte muito ainda para ser completado. Por duas vezes o novo chegou lá, no poder central. Escasseiam cada vez mais os instrumentos com os quais as elites dominantes querem retornar ao poder com aquele projeto neoliberal que quebrou os países centrais e que lançou cem milhões no desemprego na Europa e nos USA.

Sentimo-nos representados nos versos do cantador: “Só é cantador quem traz no peito o cheiro e a cor de sua terra/ a marca de sangue de seus mortos/ e a certeza de luta de seus vivos”(A saga da Amazônia de Vital Faria). Essa luta, esperamos, será vitoriosa. O país florescerá no fulgor de seu povo multicolorido como nossas paisagens que enchem nossos olhos de encantamento. Valem as palavras de líderes sindicais nos dias sombrios do submetimento:

“Podem cortar uma, duas e todas as flores. Mas não poderão impedir a chegada da primavera”.

A primavera já vai avançada. Junto com o sol primaveril queremos celebrar a vitória da maioria do povo, reelegendo Dilma Rousseff.

Se não puder ocorrer agora, fica o desafio para o futuro. O que deve ser, tem força e chegará o dia, bendito dia, em que irá triunfar.

* teólogo e escritor

*****

Link permanente Deixe um comentário

Muito vento e pouca chuva em Campo Grande,MS

19/10/2014 at 10:57 (*Liberdade e Diversidade) ()

Sem título***

Comentário: Mas chuva mesmo que é bom quase nada! Continuamos na maior seca…Ver matéria de Vinícius Squinelo no jornal Correio do Estado de hoje (19/10). Tá difícil!

http://www.correiodoestado.com.br

*****

Link permanente Deixe um comentário