Aécio dispara e abre 17 pontos de vantagem sobre Dilma, mostra pesquisa

11/10/2014 at 22:42 (*Liberdade e Diversidade)

AécioPrimeiro levantamento após divulgação de áudios da Petrobrás mostra que escândalo atingiu em cheio campanha da petista

11/102014

Mário Simas Filho / Istoé/Sensus

Primeira pesquisa ISTOÉ\Sensus realizada depois do primeiro turno da sucessão presidencial mostra o candidato Aécio Neves (PSDB) com 58,8% dos votos válidos e a petista Dilma Rousseff com 41,2%. Uma diferença de 17,6 pontos percentuais. O levantamento feito entre a quarta-feira 7 e o sábado 10 é o primeiro a captar parte dos efeitos provocados pelas revelações feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o detalhamento do esquema de corrupção na estatal. “Além do crescimento da candidatura de Aécio Neves, observa-se um forte aumento na rejeição da presidenta Dilma Rousseff”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Segundo a pesquisa, o índice de eleitores que afirmam não votar em Dilma de forma alguma é de 46,3%. A rejeição de Aécio Neves é de 29,2%. “O tamanho da rejeição à candidatura de Dilma, torna praticamente impossível a reeleição da presidenta”, diz Guedes. A pesquisa também capta, segundo o diretor do Sensus, os apoios políticos que Aécio recebeu durante a semana, entre eles o do PSB, PV e PPS.

As 2000 entrevistas feitas em 24 Estados e 136 municípios mostra que houve uma migração do eleitorado à candidatura tucana mais rápida do que as manifestações oficiais dos líderes políticos. No levantamento sobre o total dos votos, Aécio soma 52,4%, Dilma 36,7% e os indecisos, brancos e nulos são 11%, tudo com margem de erro de 2,2% e índice de confiança de 95%. Nos votos espontâneos, quando nenhum nome é apresentado ao eleitor, Aécio soma 52,1%, Dilma fica 35,4% e os indecisos são 12,6%. “A analise de todos esses dados permite afirmar que onda a favor de Aécio detectada nas duas semanas que antecederam o primeiro turno continua muito forte”, diz Guedes. O tucano, segundo a pesquisa ISTOÉ\Sensus, vence em todas as regiões do País, menos no Nordeste. No PSDB, a expectativa é a de que a diferença a favor de Dilma no Nordeste caia nas próximas pesquisas, principalmente em Pernambuco, na Bahia e no Ceará. Em Pernambuco devido o engajamento da família de Eduardo Campos na campanha, oficializado na manhã do sábado 10. Na Bahia em função da presença mais forte do prefeito de Salvador, ACM Neto, no palanque tucano. E, no Ceará, com a participação do senador eleito Tasso Jereissati.

Além da vantagem regional, Aécio, de acordo com o levantamento, supera Dilma em todas as categorias socioeconômicas, o que, segundo a análise de Guedes, indica que a estratégia petista de apostar na divisão do País entre pobres e ricos não tem dado resultado.

PESQUISA ISTOÉ|Sensus

Realização – Sensus

Registro na Justiça Eleitoral – BR-01076/2014

Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 Estados e 136 municípios do País

Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural

Campo – de 07 a 10 de Outubro de 2014

Margem de erro – +/- 2,2%

Confiança – 95%

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Mato Grosso do Sul, 37 anos de existência

11/10/2014 at 15:53 (*Liberdade e Diversidade)

parabéns ms

Charge do Milton César no Midiamaxnews de hoje. Que venha a chuva!

*****

Link permanente Deixe um comentário

Yasmin Brunet curte praia em Ipanema,Rio de Janeiro

11/10/2014 at 13:34 (*Liberdade e Diversidade)

Yasmin 2

1yasminpraiaFoto: JC Pereira / AgNews

Yasmin Brunet aproveitou o sol deste sábado (11) para ir à praia de Ipanema no Rio de Janeiro. Ela apostou em fio-dental com estampa de oncinha, top preto de cortininha e óculos espelhados. Aos 26 anos, a filha de Luiza Brunet exibiu boa forma, reforçou o bronze e se refrescou com água de coco.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Guia do futuro: como serão as colônias de humanos fora da Terra? (Leitura do almoço)

11/10/2014 at 13:15 (*Liberdade e Diversidade) ()

colonias no espaço 11/10/2014

David Robson / Da BBC Future

 

Este mês, a BBC vai promover em Nova York uma conferência dedicada a ideias que podem mudar o mundo. O World-Changing Ideas Summit, no dia 21, vai examinar alguns dos conceitos mais ousados e provocadores do mundo da ciência, tecnologia e saúde.

Nos próximos dias, a BBC fará guias sobre alguns destes temas polêmicos. O primeiro deles é uma discussão sobre a capacidade da humanidade de construir sociedades fora do nosso planeta.

Por que devemos levar a sério a ideia de colonizar o espaço?

Com a população do planeta crescendo e com mais competição por espaço e recursos, alguns já estão convencidos de que é preciso olhar para fora da Terra para garantir a sobrevivência da humanidade.

Elon Musk, empresário da empresa de turismo espacial SpaceX, disse recentemente: “Eu acho que existe um argumento forte para se tornar a nossa vida algo ‘multi-planetário’ para garantir a existência da humanidade no caso de uma catástrofe acontecer”.

Mesmo que você não vislumbre esta visão pessimista, é difícil ignorar o instinto humano eterno de descobrir o que não foi descoberto – um impulso que nos faz olhar além do nosso planeta.

E pode haver menos obstáculos do que se pensa.

“Estamos em um nível de tecnologia em que você pode imaginar deixar o planeta para ir a alguns lugares no nosso Sistema Solar”, diz o ex-astronauta Jeffrey Hoffman. “A Lua está ali na esquina e Marte não está longe. Temos a possibilidade de pelo menos dar os primeiros passos em direção a alguns lugares novos ainda durante a nossa geração.”

Como seria uma colônia espacial?

Nos anos 1920, o pioneiro de pesquisas com foguetes Herman Potocnik imaginou uma aeronave circular – bastante parecida com um disco voador – que gira e cria gravidade artificial, com um grande espelho côncavo que capta a luz solar como fonte de energia.

Por mais maluca que pareça esta ideia, ela persistiu até o começo dos anos 1970, e foi apresentada pelo físico de Princeton Gerard O’Neill e novamente pela Sociedade Interplanetária Britânica.

colonias 2Sociedade Interplanetária Britânica vislumbrou uma colônia em formato de disco voador

Antes de se ridicularizar a ideia e a instituição, é bom lembrar que a Sociedade Interplanetária Britânica previu que o homem chegaria à Lua – três décadas antes do fato acontecer.

E viver em Marte ou outro planeta, é possível?

Outros especialistas preferem a ideia de se estabelecer em algum planeta ou satélite, em vez de montar uma colônia em uma espaçonave. Marte sempre está no foco deste debate, e já existe gente trabalhando em uma espécie de “projeto” para estabelecer uma colônia lá algum dia.

O projeto Mars One, da Holanda, foi lançado em 2012 e foram escolhidas 40 pessoas – entre 200 mil candidatos. O projeto é financiado por um programa estilo “reality show” – que pretende treinar as pessoas para uma vida no planeta vermelho. Para muitos, a ideia é uma grande brincadeira, mas mostra que já existe gente interessada no assunto.

A empresa SpaceX também tem projetos para colonizar Marte – mas com um pouco mais seriedade. A empresa imagina um veículo gigante chamado Mars Colonial Transporter, que seria usado para várias viagens entre a Terra e Marte.

“Se conseguirmos estabelecer uma colônia em Marte, é possível que consigamos colonizar todo o Sistema Solar, pois teremos feito um grande avanço na viagem espacial”, diz Musk. As luas de Júpiter, de Saturno e alguns asteroides também estariam ao alcance desta tecnologia.

Mas como seria a vida no espaço?

A rotina atual a bordo da Estação Espacial Internacional revela alguns dos desafios do futuro. O custo de se levar água suficiente para os seis tripulantes é de US$ 2 bilhões por ano. Além disso, é preciso transportar comida e oxigênio até a estação. No mundo ideal, a colônia espacial precisa ser autossuficiente – capaz de produzir seus próprios recursos ou de retirá-los de algum asteroide.

Há também efeitos nocivos à saúde: danos aos músculos e ossos por exposição prolongada à falta de gravidade, e aumento da pressão sanguínea na cabeça. Radiação cósmica pode aumentar riscos de catarata e câncer.

Vários desses problemas e alguns inusitados – como o fato de que o cabelo humano é facilmente combustível em baixa gravidade – teriam de ser resolvidos.

Mais explosiva ainda pode ser a relação entre as pessoas. A experiência psicológica Mars500 – conduzida por russos em 2007 – tentou simular as condições mentais de uma viagem ao planeta. Seis voluntários ficaram presos em uma acomodação de 80 metros quadrados por 520 dias.

colonias 3Efeitos psicológicos de muito tempo no espaço são perigosos

Um dos participantes teve problemas sérios de sono, de tal forma que ele sempre estava dormindo quando os demais estavam acordados, e se isolou do resto da “tripulação”.

Outro voluntário sofreu com depressão extrema. Um terceiro teve inibição cognitiva.

Sem falar nos aspectos políticos. Como seria governada uma colônia? Mesmo com esse problema estando tão distante, já existem filósofos e escritores que teorizam sobre uma “constituição” que define princípios e direitos no espaço.

Se der certo, as pessoas que nascerem no espaço serão diferentes de nós?

Se os humanos conseguirem se reproduzir no espaço – e com todos os problemas de saúde que afligem os astronautas isso parece um futuro muito distante – as colônias espaciais poderão desenvolver culturas próprias.

Cameron Smith, da Portland State University, especula que uma colônia de 2 mil indivíduos teria culturas e comportamentos totalmente diferentes 300 anos depois de ser formada – com mutações na textura de cabelos, pele e tamanho do corpo. O corpo tenderia a se tornar menos robusto, adaptando-se a uma realidade de baixa gravidade.

Smith também especula sobre o futuro da engenharia genética – com a criação de órgãos artificiais radicalmente diferentes dos nossos, que possam aspirar o oxigênio do dióxido de carbono.

Leia a versão original desta reportagem em inglês no site BBC Future.

*****

 

Link permanente Deixe um comentário

Primeiro teste em paciente com suspeita de ebola dá negativo

11/10/2014 at 11:50 (*Liberdade e Diversidade, Hermano de Melo)

ebola1

Vírus Ebola – Microscopia eletrônica

11 de Outubro de 2014

FOLHAPRESS / Correio do Estado

Deu negativo para ebola o primeiro teste laboratorial feito no paciente com suspeita da doença, Souleymane Bah, 47.

Um segundo teste, cuja amostra será colhida neste domingo (12), ainda será feito para confirmar o resultado.

“O estado de saúde dele é bom, não apresenta febre e está mantido em isolamento total no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro (RJ). Se o caso também for descartado como ebola no segundo exame, o paciente sairá do isolamento e o sistema de vigilância dos contactantes será desmontado”, diz nota do ministério, divulgada neste sábado (11).

O alerta sobre o caso suspeito foi dado após Bah dar entrada em uma unidade de saúde de Cascavel (PR) na tarde desta quinta-feira (9), dizendo ter tido febre, dor de garganta e tosse. Ele chegou ao Brasil, vindo da Guiné (um dos países mais afetados pelo vírus) no dia 19 de setembro, via Guarulhos, segundo o governo federal.

Apesar de não apresentar quadro febril quando chegou à UPA, foi classificado como o primeiro caso suspeito de ebola no país por seu histórico de viagem nos 21 dias anteriores e pelo relato de febre.

Bah, nacional da Guiné, foi isolado na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e transferido em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio.

No local, foi colhido o material para esse primeiro exame.

Nesta sexta, o ministro voltou a afirmar que o paciente não apresentava febre ou outros sintomas típicos da doença e tem quadro estável.

Se descartada a suspeita com os dois exames laboratoriais, o episódio servirá como um grande “test drive” para averiguar o alerta dos serviços de saúde e cada etapa do protocolo de identificação e tratamento de um potencial caso de ebola.

Saiba Mais

Africano com suspeita de ebola deu endereço falso ao dar entrada em pronto-socorro

MS tem plano de contingência para ebola; primeira suspeita foi registrada em estado vizinho

Suspeita de ebola não é motivo para pânico, diz infectologista

Paciente com suspeita de ebola tem quadro estável, diz ministro

Em MS, só Campo Grande está preparada para enfrentar ebola

*****

Link permanente Deixe um comentário

Academia Sul-Mato-Grossense de Letras lança pedra fundamental de sede própria e reelege diretoria

11/10/2014 at 11:00 (*Liberdade e Diversidade)

Pedra fundamental da ASLNOTÍCIAS DA ACADEMIA

1. Eleição de nova Diretoria: Em 02/10 último aconteceu assembléia que elegeu a nova diretoria da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), cujo mandato se iniciará no próximo dia 31/10/2014. Foram eleitos (as) os acadêmicos (as) Reginaldo Alves de Araújo – Presidente; Abrão Razuk – Vice; Rubenio Marcelo – Secretário Geral; José Pedro Frazão – Secretário; Enilda Mougenot Pires -Tesoureira; Elizabeth Fonseca – Segunda-Tesoureira.

2. Acadêmico Geraldo Ramon Pereira participou do programa “Entre-Livros” da Livraria Le Parole (08/10). Na ocasião, o escritor/poeta/compositor Geraldo Ramon levou sua mensagem de incentivo ao hábito de leitura,comentando sua obra literária, declamando poesias autorais e apresentando algumas de suas composições musicais, ao som da “viola caipira”. O programa “Entre Livros” é apresentado pela TV Educativa Brasil Pantanal.

3. Reforma Estatutária – O Presidente da ASL, Reginaldo Alves de Araújo, convoca os membros efetivos do Sodalício para assembleia geral a realizar-se na sede da Academia no próximo 23 de outubro, às 15 horas, em primeira convocação.

Fonte (modificado): Suplemento Cultural do jornal “Correio do Estado” em 11/10/2014.

*****

Link permanente 2 Comentários

Pesquisa mostra vitória de Reinaldo Azambuja no MS

11/10/2014 at 09:45 (*Liberdade e Diversidade)

pesquisagovernoPesquisa mostra vitória de Azambuja com 56% dos votos

Candidato tucano seria o futuro governador se as eleições fossem hoje.

11 de Outubro de 2014

Adilson Trindade / Correio do Estado

Pesquisa de intenção de votos para o segundo turno das eleições para o governo de Mato Grosso do Sul, divulgada na noite desta sexta-feira (10), pelo SBT-MS/Vale Consultoria e Assessoria, aponta que, se as eleições fossem hoje, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) seria eleito.

Conforme os dados, o tucano teria hoje 56,03% dos votos válidos – excluindo brancos, nulos e indecisos – contra 43,97% de Delcídio do Amaral (PT). Incluindo-se os votos brancos, nulos e os indecisos, o candidato do PSDB somaria 49,18% das intenções de voto e o petista obteria 37,12%.

A margem de erro é de 2.375 pontos percentuais para mais ou para menos dentro de intervalo de confiança de 95%.

Na pesquisa espontânea, onde o eleitor indica o seu candidato em consultar a lista dos nomes, Azambuja também lidera, com 35,12% das intenções de voto contra 26,18% de Delcídio.

O índice de rejeição, aquele candidato que o eleitor aponta que não votaria de jeito nenhum, de Delcídio chega a 51,12% contra 36,71% do tucano. Já 12,17% dos eleitores não responderam.

A pesquisa do SBT-MS/Vale Consultoria e Assessoria foi feita com 1.700 eleitores acima de 16 anos nas principais regiões do Estado. O levantamento foi realizado no período de 6 a 9 deste mês. A pesquisa foi registrada sob o número TRE-MS 00062/2014.

*****

Link permanente 2 Comentários

Aos 37 anos, Mato Grosso do Sul comemora aniversário com urbanização e desenvolvimento

11/10/2014 at 09:23 (*Liberdade e Diversidade)

Campo Grande - MS - 37 anosNÚMERO DE MORADORES NAS ÁREAS URBANAS AUMENTOU E DESAFIO É PRESERVAR CONSTRUÇÕES HISTÓRICAS

MS - divisão

TereréMotivos de orgulho não faltam para a população comemorar o aniversário de Mato Grosso do Sul, criado há exatos 37 anos, com a divisão de Mato Grosso uno, em 1977. Desde então, a população rural sul-mato-grossense vem se mantendo em números, enquanto a urbana cresce a cada ano. O desafio de quem encara esta nova realidade é acompanhar o desenvolvimento dos municípios e, ao mesmo tempo manter os seus costumes e tradições. Na época da divisão do Estado, Mato Grosso do Sul ficou com 1.353.206 habitantes – Mato Grosso ficou com algo em torno de 900 mil. Hoje, o número em MS saltou para uma população estimada em 2.619.657, conforme levantamento do IBGE (ver quadro acima). Desde a divisão do Mato grosso uno, o povo sul-mato-grossense vem construindo uma identidade própria, sem deixar de lado as suas características culturais e históricas. O tereré continua sendo a bebida típica. E, para orgulho da população, o estado encontra-se hoje, como o maior produtor de erva-mate da Região Centro-Oeste. Ver matéria completa de Rafael Bueno da edição de hoje (11/10) do jornal Correio do Estado.

http://www.correiodoestado.com.br

***

*Comentário do Blog: Reportagem supimpa!

*****

Link permanente Deixe um comentário