Época/Paraná Pesquisas: Aécio tem 54% dos votos válidos, e Dilma, 46%

08/10/2014 at 22:05 (*Liberdade e Diversidade)

aeciodilma

8/10/2014

Jornal do Brasil

Pesquisa encomendada pela revista ‘Época’ ao Instituto Paraná Pesquisas sobre a corrida presidencial, e divulgada nesta quarta-feira, mostra o candidato do PSDB, Aécio Neves, com 54% dos votos válidos. A candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, aparece com 46%.

Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados os candidatos, o tucano tem 45% e a petista, 39%.

Não sabem ou não responderam somam 10%.

O instituto Paraná Pesquisas entrevistou, entre a segunda-feira (6) e esta quarta-feira (8), 2.080 eleitores. Foram feitas entrevistas pessoais com eleitores maiores de 16 anos em 19 estados e 152 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral, sob o número BR 01065/2014.

O nível de confiança da pesquisa é de 95%, com uma margem de erro de 2,2% para mais ou para menos. Isso significa que a probabilidade de a realidade corresponder ao resultado dentro da margem de erro é de 95%. Se a eleição fosse hoje, a votação de Aécio variaria, portanto, de 52% a 56%; e a de Dilma, de 44% a 48% dos votos válidos.

Rejeição

A pesquisa também avaliou a rejeição dos candidatos. Dilma Rousseff é rejeitada por 41%. Outros 32% afirmaram que não votariam em Aécio “de jeito nenhum”. Apenas 16% disseram que não rejeitam nenhum dos candidatos, e 8% não souberam ou não quiseram responder.

Escolaridade

No quesito escolaridade, Dilma é a preferida dos eleitores com apenas o ensino fundamental. Ela tem 46% das intenções, ante 45% de Aécio. Entre os eleitores com ensino superior completo, Aécio lidera com 55% das intenções, e Dilma apresenta 34%. Aécio também está na frente no eleitorado feminino, com 50% das intenções de voto, ante 40% de Dilma. Entre os homens, Aécio tem 47% das preferências, para 43% de Dilma.

Primeiro turno

No primeiro turno, a presidente Dilma obteve 43.267.668 dos votos válidos (41,6%). Aécio ficou com 34.897.211 votos (33,5%). Nas próximas semanas, as duas campanhas disputarão principalmente os 22.176.619 votos que foram para Marina Silva (PSB).

*****

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

PSB de Marina confirma apoio a Aécio Neves no segundo turno

08/10/2014 at 21:33 (*Liberdade e Diversidade)

marinaCandidata Marina Silva ficou na 3ª colocação no primeiro turno das eleições (Foto: Thiago Bernardes / Frame)

Candidato tucano agradeceu apoio e disse que será “porta-voz” das ideias de Eduardo Campos

08 de outubro de 2014

Fernando Diniz e Pedro Rocha / Terra

A executiva nacional do PSB confirmou em reunião nesta quarta-feira, em Brasília, apoio no segundo turno à candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República. A candidata do partido, Marina Silva, ficou em terceiro lugar na corrida presidencial, com 21% dos votos válidos.

A ex-senadora vai oficializar amanhã sua decisão para o segundo turno. Apesar de ter disputado as eleições pelo PSB, Marina Silva busca criar formalmente seu próprio partido, a Rede Sustentabilidade, que tem resistências ao PSB, mas não deve apoiar a presidente Dilma Rousseff (PT).

Na reunião do PSB, dos 28 membros da executiva que votaram 21 foram favoráveis ao apoio ao tucano, sete decidiram pela neutralidade e apenas um votou pelo apoio à candidata Dilma Rousseff (PT). Foram favoráveis à neutralidade o presidente da legenda, Roberto Amaral, a senadora Lídice da Mata (BA), a deputada Luiza Erundina (SP), o senador Antônio Carlos Valadares (SE), o secretário nacional sindical Joilson Nascimento, o secretário da juventude Bruno da Mata e a secretária Kátia Born. O voto pró-Dilma foi do senador João Capiberibe (AP).

Após a divulgação do resultado, Aécio foi à sede nacional do PSB, em Brasília, agradecer o apoio. Em discurso, lembrou do candidato Eduardo Campos, morto em um acidente de avião, e disse que será porta-voz das ideias do ex-governador de Pernambuco. “Eduardo Campos, os seus sonhos passam a ser os meus sonhos”, discursou. Ele afirmou ainda que não se esquecerá da aliança se eventualmente for eleito: “quero esta companhia agora (do PSB), mas quero está companhia também pelos próximos quatro anos”.

O presidenciável tucano se disse honrado em ser o “porta-voz” das ideias de Campos. “A partir deste instante, a minha candidatura não é apenas uma candidatura minha e do meu partido. É uma candidatura do amplo desejo de mudança da sociedade brasileira e, para mim, do ponto de vista pessoal, tem um simbolismo muito grande, porque eu venho hoje na casa de um grande amigo, por quem eu tenho enorme admiração e sempre fez muito bem para a boa política brasileira, o companheiro Eduardo Campos. Portanto, serei, com muita honra, a partir de agora, porta-voz também das suas ideias e dos seus sonhos e quero dizer a todos brasileiros aquilo que ele estaria dizendo: não vamos desistir do Brasil”.

Além do PSB, também anunciaram apoio à candidatura do tucano até o momento o PPS, o PSC, do candidato derrotado Pastor Everaldo – que obteve 1% dos votos no primeiro turno – e o PV, de Eduardo Jorge.

Programa

O candidato do PSDB, Aécio Neves, anunciou que colocou o senador eleito Tasso Jereissati (CE) para agregar ideias do PSB ao programa de governo tucano. Ele trabalhará diretamente com o vice na chapa de Marina, Beto Albuquerque, o senador eleito Fernando Bezerra (PSB-PE) e o primeiro-secretário do partido, Carlos Siqueira.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Índios despejados em MS prometem resistir e falam de morte coletiva na área retomada

08/10/2014 at 17:29 (*Liberdade e Diversidade)

índios na fronteira

08/10/2014

Aline Machado / Midiamax News

Indígenas Guarani-Kaiowá da Comunidade Tekoha Kurusu Amba, situada em Coronel Sapucaia, a 380 quilômetros de Campo Grande, declararam resistência e acusaram a Justiça de genocídio, após receber ordem de despejo. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (8), na página oficial do Conselho Aty Guasu, no Facebook.

De acordo com a carta divulgada pelo grupo, a decisão foi acordada entre indígenas de 250 comunidades. No comunicado, eles garantem que não vão abandonar a área, retomada há 10 anos.

“Nós decidimos recuperar um pedaço de nossa terra antiga e aqui estamos sobrevivendo e resistindo há 10 anos, e todos nós vamos resistir até a morte, decidimos morrer todos juntos e não iremos sair despejados de nossa terra antiga. Essa é a nossa decisão”, garantem.

Segundo o coordenador regional do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), Flávio Vicente Machado, cerca de 20 mil indígenas vivem nas regiões de fronteira. Ele explica que para esses povos, as condições são mais precárias se comparadas a outras comunidades.

“Nos últimos 4 anos houve um agravamento humanitário entre esses indígenas. Eles vivem na beira das rodovias, são expostos a situação de miséria e violência. Existe uma série de situações que os obrigam a tomar essa decisão”, justificou.

Machado denuncia ainda que os povos tiveram os barracos queimados e foram feridos por funcionários de fazendeiros da região. “É um povo submetido à crise e trauma social. Registramos um assassinato a cada 12 dias e um suicídio a cada 7”, destacou.

Conforme o comunicado, a ordem de despejo foi deferida na última segunda-feira (6), pela Justiça Federal de Ponta Porã e os indígenas terão 20 dias, a partir da data em que receberam a notificação, para deixar a área.

A equipe de reportagem entrou em contato com a Justiça Federal de Ponta Porã, mas não conseguiu falar com a assessoria de comunicação que funciona apenas no período vespertino.

*****

Link permanente Deixe um comentário

A lógica política dos resultados do primeiro turno

08/10/2014 at 15:24 (*Liberdade e Diversidade)

Maarcos Ianoni - JBMarcus Ianoni / Jornal do Brasil

07/10/2014

Tenho dito nesta coluna que há dois grandes projetos em disputa no país, o social-desenvolvimentista e o neoliberal, que se fazem representar, no plano partidário, respectivamente, pelo PT e pelo PSDB, os partidos à frente das alianças que cada um dos campos constitui.

O resultado da apuração dos votos depositados nas urnas domingo, em todo o país, confirmou a tese da polarização de projetos. A candidatura encabeçada pelo PT obteve 41,59% dos votos válidos e a do PSDB, 33,55%. A vantagem do primeiro colocado foi de 8,04%. Ambas irão ao segundo turno. Se olharmos em uma perspectiva histórica mais ampla e abstrairmos diferenças contextuais, a história brasileira, desde a Revolução de 1930, tem sido pontuada pela disputa, no plano das ideias e práticas econômicas, entre desenvolvimentistas e liberais. No período 1945-1964, o plano partidário dessa disputa opunha a aliança PSD-PTB à UDN.

A disputa é entre dois modelos de capitalismo, e não entre capitalismo e socialismo. Se, na perspectiva da minoria mais extremada à esquerda, um e outro são a mesma coisa, para a grande maioria dos eleitores, não é essa a visão que predomina. Em 11 estados, a candidatura do campo social-desenvolvimentista obteve, domingo, mais de 50% dos votos válidos (Piauí, Maranhão, Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe, Amazonas, Pará, Amapá e Tocantins). Em Alagoas, alcançou 49,94%. Com exceção do Amazonas, há em comum o fato de que são unidades federativas das regiões mais pobres do país, nordeste e norte, que possuem PIB per capita abaixo de R$ 15 mil (IBGE, 2011). Mas essa candidatura venceu também em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Em outros 11 estados, a candidatura do campo liberal obteve mais votos que a situacionista (Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Acre, Roraima e Rondônia). Apenas os catarinenses conferiram mais de 50% dos votos para a candidatura liberal. Com exceção dos três estados do norte, pertencem às regiões do sul, sudeste e centro-oeste, em linhas gerais, mais desenvolvidas, com PIB per capita acima dos referidos R$ 15 mil, sendo que, em quatro deles, esse indicador ultrapassa os R$ 25 mil.

A campanha no segundo turno tenderá a ser acirrada. Essas eleições presidenciais, que já tiveram um primeiro turno pleno de surpresas, continuarão, até 26 de outubro, a ser um desafio à arte da política, das alianças, dos discursos, das réplicas e tréplicas, das estratégias de marketing político, enfim, um belo show de democracia, cujo resultado definirá o futuro das políticas públicas, internas e externas, nos próximos quatro anos. Cabe ao eleitor encará-las com toda a seriedade, posicionando-se nas urnas com base em uma reflexão minimamente consistente. O voto é uma das principais formas de exercício da soberania popular. Uma variável chave para o desfecho dessas eleições será a distribuição, no segundo turno, dos votos dos eleitores que votaram nos candidatos que ficaram de fora.

Marcus Ianoni é cientista político, professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal Fluminense (UFF) e pesquisador das relações entre Política e Economia.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Giba Um: Jennifer Lawrence de topless

08/10/2014 at 15:00 (*Liberdade e Diversidade)

Sem título***

*Comentário do blog: Que belezura!!!

*****

Link permanente Deixe um comentário

Capacidade eólica mundial ultrapassa 336 GW, diz WWEA

08/10/2014 at 13:01 (*Liberdade e Diversidade)

energia eólica

Brasil foi o terceiro maior mercado de novas turbinas eólicas; primeiro foi a China

Correio Brasil /Alemanha – Da redação

São Paulo, 06 de Outubro de 2014

A Associação Mundial de Energia Eólica (WWEA, na sigla em inglês) publicou seu relatório Half-year Report 2014 atualizando o status da indústria global quanto à capacidade instalada de energia eólica ao fim do primeiro semestre de 2014, em todo o mundo. A associação informou que a capacidade eólica instalada ultrapassou os 336GW. Apenas no primeiro semestre de 2014, foram adicionados 17,6GW; contra 14GW em 2013.

Destaque para Ásia, em especial a China, país que instalou um montante próximo aos 100GW, e para o Brasil que foi o terceiro maior mercado de novas turbinas eólicas. “Pela primeira vez, o Brasil fez parte do pódio se tornando o terceiro maior mercado mundial de turbinas eólicas, com 1,3GW de nova capacidade, o que representa 7% da venda mundial de turbinas. Com isso, o Brasil é capaz de expandir sua liderança isolada neste segmento por toda a América Latina”, destaca o relatório.

A WWEA reforça que, pela primeira vez, os mercados mais dinâmicos e expressivos do segmento eólico foram identificados em todos os continentes: China, Índia e Alemanha, Brasil, EUA, Canadá, Austrália, Reino Unido, Suécia e Polônia.

Ainda detalhando o mercado Latino Americano, associação afirma que o Brasil se tornou o 13º maior mercado de energia eólica no mundo, com a instalação de 1,3GW no primeiro semestre de 2014 e com o acréscimo para 4,7GW na capacidade instalada.

“Com o impressionante acréscimo de 38,2% durante o primeiro semestre de 2014, o país se tornou o terceiro maior mercado de turbinas, atrás apenas da China e da Alemanha, e à frente dos EUA e Índia”, aponta o relatório.

Até o final do ano de 2014, a associação calcula que a capacidade eólica deve chegar a 360GW no mundo.

Clique para acessar a íntegra do documento.

***

*Comentário do blog: A utilização de fontes alternativas de energia será fundamental para o futuro da humanidade. Tudo bem que o petróleo ainda é importante, mas vamos pensar à frente e desenvolver com urgência as novas formas de energia disponíveis – especialmente a solar e a eólica.E implementá-las!

*****

Link permanente Deixe um comentário

André declara ‘neutralidade’ depois de reunião com Jerson e encontro com Delcídio

08/10/2014 at 12:31 (*Liberdade e Diversidade) ()

André

08/10/2014

Evelin Araujo e Juliene Katayama

Após a intensa movimentação política que seguiu as eleições do último domingo (5), o atual governador André Puccinelli (PMDB) garante que ficará ‘neutro’ com relação à disputa entre Delcídio do Amaral (PT) e Reinaldo Azambuja (PSDB) neste segundo turno. (Foto: Gerson Walber).

Depois de se reunir com dez deputados estaduais da bancada em seu apartamento nesta quarta-feira (8), o governador afirmou que busca apoio apenas para a petista Dilma Rousseff (PT).

“Não acertei nada com o Delcídio e só me reuni aqui para pedir apoio dos deputados a Dilma. Eu vou me manter neutro nesse segundo turno”, disse. A declaração, no entanto, é cercada de ceticismo e dúvidas até dentro do PMDB.

Questionado sobre como conseguirá se manter distante em meio a tanta conversa política e declarações de apoio, André preferiu não responder: “Tchau”, disse encerrando a rápida conversa com a reportagem.

A declaração de neutralidade de André aparece em meio a reuniões políticas, marcadas desde a madrugada seguinte à eleição que mandou para o segundo turno Delcídio e Reinaldo. Logo cedo, na segunda-feira (6), Puccinelli se reuniu com o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Jerson Domingos, na casa do parlamentar.

Maior articulador de Delcídio dentro do PMDB desde o primeiro turno, Jerson conversou por horas com o atual governador, que saiu da reunião sem falar da suposta ‘neutralidade’ e afirmando que conversaria com todo o partido sobre os apoios políticos no segundo turno.

André citou, na ocasião, a dificuldade de prefeitos do interior em se aliar com o PT no Estado. Na terça-feira (7), o governador viajou a Brasília para se encontrar com Dilma e reafirmar seu apoio à reeleição da presidente. Delcídio esteve na mesma reunião com Dilma e ambos aparecem juntos, em fotos divulgadas pela assessoria, próximos a Rousseff.

Enquanto isso, Reinaldo Azambuja (PSDB) aproveitou a tarde de ontem para receber uma verdadeira romaria em seu apartamento. Na ocasião, 15 vereadores declararam apoio ao tucano. Lideranças do PSB, DEM, os deputados Marquinhos Trad (PMDB), Tereza Cristina (PSB) e o político Fábio Trad (PMDB), além do presidente da Fiems, Sérgio Longen, também se declararam aliados de Reinaldo.

O apoio coletivo motivou neutros, como o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), a também declararem seu apoio ao tucano. À noite, Reinaldo foi até Nelsinho Trad (PMDB), que também anunciou na manhã desta quarta-feira (8) seu apoio ao tucano.

***

*Comentário do blog: Pôncio Pilatos fez exatamente a mesma coisa!

*****

Link permanente Deixe um comentário

Rede Sustentabilidade descarta apoiar Dilma no 2º turno

08/10/2014 at 12:00 (*Liberdade e Diversidade)

Marina - sustentabilidadeDe acordo com os assessores de Marina Silva (PSB), apoio a Aécio Neves (PSDB) depende da adoção de “exigências” pelo tucano como inclusão de políticas de sustentabilidade e educação integral (Foto: André Penner / AP)

08 de outubro de 2014

Terra

Após reunião, executiva do grupo político de Marina Silva defende não continuidade do governo atual e mudança qualificada

Em reunião realizada na noite de terça-feira, a Rede Sustentabilidade, grupo político de Marina Silva (PSB), decidiu pela “não continuidade do governo” e por “uma mudança qualificada”, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo

A ex-candidata à Presidência da República Marina Silva disse, em nota na terça-feira, que o anúncio sobre possíveis apoios no segundo turno das eleições presidenciais seria feito apenas na quinta-feira, depois que as lideranças dos partidos aliados conseguissem costurar um entendimento.

De acordo com a Folha, a executiva, que tem 24 membros, teria dado “aval para que a ambientalista confirme a tendência anunciada de apoio à candidatura de Aécio Neves (PSDB)”. Já o jornal O Globo, afirma que, na reunião de quatro horas da noite desta terça, foi defendida uma mudança em relação ao atual governo, porém, “sem citar de forma explícita o indicativo de voto no tucano”.

A reunião foi realizada por teleconferência e contou com a participação de Marina, que, segundo O Globo, “deixou claro que não seguirá necessariamente o que indicar a Rede”. Marina tentou fundar o partido Rede Sustentabilidade no ano passado, mas teve o registro negado pela Justiça Eleitoral.

A decisão desta terça seria submetida ao diretório da Rede, composto por 120 pessoas, nesta quarta-feira, disse o coordenador geral da campanha de Marina, Walter Feldman, citado pela Folha. Os partidos da coligação Unidos pelo Brasil também devem se reunir nesta quarta, em Brasília, para discutir os critérios que irão balizar a escolha do grupo, segundo Marina.

Na nota emitida antes da reunião nesta terça, a ex-senadora havia dito que os resultados das eleições refletiram a insatisfação dos brasileiros com as atuais condições do País. Marina disse ainda respeitar as opiniões isoladas de cada partido, dirigentes e líderes, mas ressaltou que essas posições “não refletem em nenhuma hipótese” a sua opinião.

Citada pela imprensa, Marina teria dito também que um possível apoio deve ser fechado com base em projetos comuns. Entre os pontos de convergência entre a ambientalista e Aécio estão a reforma política, com o fim do direito à reeleição, e ampliação do mandato presidencial para cinco anos, além da redução do aparelho estatal e da reforma tributária.

De acordo com os assessores de Marina, entre as “exigências” negociadas figuram a inclusão de políticas de sustentabilidade e educação integral.

Em 2010, Marina também ficou em terceiro lugar no primeiro turno das eleições presidenciais. Após tentar negociar tanto com a então candidata Dilma Rousseff (PT), quanto com seu opositor José Serra (PSDB), a ambientalista optou pela neutralidade.

Eleição

Após o primeiro turno das eleições ocorrido no domingo, 5 de outubro, ficou definido que a disputa para a Presidência da República terá segundo turno entre os candidatos Dilma Rousseff e Aécio Neves. Dilma obteve 41,59% dos votos, ficando à frente de Aécio, que termina o primeiro turno com 33,55%. A candidata do PSB Marina Silva deixou a corrida presidencial com 21,32% dos votos, em terceiro lugar.

Nas disputas aos governos, 13 Estados e o DF enfrentarão segundo turno. Outras 13 unidades da federação escolheram seus governadores no primeiro turno.

SAIBA MAIS

Marina vai apoiar Aécio e pede incorporação de programa

Aécio e Marina têm propostas em comum para apoio no 2º turno

Propaganda eleitoral na TV tem início nesta quinta-feira

Marina diz que definirá posição sobre 2º turno nesta quinta

*****

Link permanente Deixe um comentário

Eclipse da lua esta manhã na Califórnia e em várias partes do mundo, inclusive no MS

08/10/2014 at 11:27 (*Liberdade e Diversidade)

lua de sangue no céuEclipse total forma ‘lua de sangue’ no céu (© Foto: Nick Ut/AP)

MSN Notícias

Moradores da América, da Ásia e da Oceania puderam ver no início da manhã desta quarta-feira o segundo dos dois eclipses lunares totais de 2014, que mostrou uma versão avermelhada do satélite natural da Terra, a chamada ‘lua de sangue’. Na foto, o fenômeno registrado no céu da Califórnia, Estados Unidos.

*****

Link permanente Deixe um comentário

Anta albina será atração no Aquário do Pantanal, em Campo Grande,MS

08/10/2014 at 11:06 (*Liberdade e Diversidade)

Anta albina no aquário

O Aquário do Pantanal será a casa de embaixadores de duas espécies animais em extinção: a lontra e a anta. O destaque fica por conta da anta albina, que é mais rara ainda. Este é o único animal albino desta espécie – Tapirus terrestris – que se tem notícia, vivendo em cativeiro, em todo o mundo. A fêmea, de 14 anos de idade, foi apreendida pelo Ibama em uma fazenda de Sete Quedas (MS) e está desde 2010 no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras), em Campo Grande,MS. Ver matéria completa de Gabriela Couto no jornal Correio do Estado de hoje (8/10).

http://www.correiodoestado.com.br

Veja vídeo do animal:

*****

Link permanente Deixe um comentário

Next page »