O aquário gigante

17/10/2009 at 21:28 (Hermano de Melo)

Aquário do Pantanal

Aquário do Pantanal (Fonte: Fórum SkyscraperCity)

 Hermano de Melo*

Das 1.500 obras anunciadas recentemente (02/10/09) pelo governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), como parte do programa “MS Forte – Ações para o Desenvolvimento”, e com investimentos previstos da ordem de 3 bilhões de reais (espécie de PAC estadual), uma delas foi considerada “emblemática”. Trata-se da construção do “Aquário do Pantanal” no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, que deverá ser concluído entre dezembro de 2010 e início de 2011. Dessa forma, a Cidade Morena vai entrar para um seleto rol de cidades do Brasil e do Mundo, inclusive Cuiabá-MT (em reparos), a possuir um aquário gigante aberto à visitação pública.

O projeto Campo-grandense, assinado pelo renomado arquiteto paulista Ruy Ohtake (Parque Ecológico do Tietê, Projeto de adequação do Morumbi para a Copa do Mundo de 2014, etc.), em formato de um cilindro disposto horizontalmente e extremidades ogivais, terá mais de 10 mil metros quadrados de área construída e custará cerca de 60 milhões de reais aos cofres públicos estaduais. O “Aquário do Pantanal” abrigará mais de 350 espécies de animais, entre répteis, peixes, crustáceos e moluscos, com toda a rica biodiversidade dos rios do Estado e grande variedade de animais e plantas típicas. Prevê ainda bares, cafés, lojas e restaurantes que vão compor os espaços de convivência e descanso, integrados às atrações do Aquário.

O Governo do Estado justifica a execução do projeto porque “se trata de um importante espaço público que vai incrementar o turismo, gerar emprego e renda e garantir mais qualidade de vida à população. Será mais uma opção de lazer e entretenimento e promoverá a educação ambiental e a conservação do patrimônio natural do Pantanal”. Ao visitar o Estado, em dezembro do ano passado, Ohtake afirmou: “O Aquário de Campo Grande não será apenas um local de visitação para conhecer a fauna aquática do Estado. Será possível ter contato com bichos do Pantanal, almoçar em um restaurante suspenso com vista para toda cidade, entre outras atrações. O Aquário atuará como um instrumento de educação ambiental aliada ao lazer”. (Midiamaxnews, 02/10/09).

Após o anúncio do pacotaço de obras, os políticos presentes apoiaram em uníssono a iniciativa governamental. A prefeita de Três Lagoas, Simone Tebet (PMDB) disse: “As obras irão beneficiar Mato Grosso do Sul pelos próximos 40 anos”. O presidente da Câmara dos Vereadores, Paulo Siufi, não deixou por menos: “A Capital ainda é a menina dos olhos do governador. Vai receber o ‘Aquário do Pantanal’ no Parque das Nações Indígenas!” E quando perguntado se não seria importante a construção da unidade da UEMS, ao invés do Aquário, foi taxativo: “Houve uma pesquisa com a população (sic) e optamos pelo Aquário”.Para o atual prefeito Nelsinho Trad (PMDB), o Aquário vai auxiliar nos projetos de educação ambiental: “Imagino a curiosidade que vai provocar. Um lugar com tantas espécies juntas. É muito bom”. (Campograndenews, 02/10/09).

Em princípio, não se pode condenar a atitude do governador ao lançar em noite festiva tantas importantes obras para Mato Grosso do Sul, inclusive o megaprojeto “Aquário do Pantanal”. Afinal, ele deve pensar, prefeitos e governadores (inclusive ele mesmo e o atual prefeito Nelsinho Trad) já fizeram isso no passado e se deram bem – foram reeleitos! (Obramania, Correio do Estado, 25/06/07). Ademais, quem pode ser contra a construção de um belíssimo “Aquário” de 60 milhões de reais, onde a criançada e o público em geral irão apreciar os peixes nativos do pantanal sul-mato-grossense e, ao mesmo tempo, saborear um ‘pintado no espeto’ no restaurante local?

Por outro lado,é preciso fazer algumas ressalvas. Em primeiro lugar, será que é legal e ético por parte de um governo qualquer (quer seja municipal, estadual ou federal), anunciar um extenso pacote de obras às vésperas de um ano eleitoral? Segundo, numa escala de 0 a 5, qual será o nível de prioridade de uma obra da magnitude do “Aquário do Pantanal” em Campo Grande, no lugar, por exemplo, de uma creche em Selvíria ou de uma escola em Anastácio, ou mesmo da revitalização do centro de Campo Grande? Finalmente, por que os governantes, em geral, ao invés de perseguirem metas sociais, insistem em medir o desenvolvimento local pelo número de avenidas duplicadas, viadutos construídos, ruas asfaltadas, obras faraônicas anunciadas?

Na praia de Iracema, Fortaleza,Ceará, onde se implanta projeto semelhante ao daqui e que custará aos cofres públicos de lá cerca de 250 milhões de reais, o Fórum de Defesa da Criança e do Adolescente e o Instituto de Desenvolvimento Social e Cidadania impetraram uma ação civil pública para barrar a construção do “Aquário do Ceará”. As entidades alegam que “o poder público, antes de iniciar obras gigantescas como essa deveria olhar mais para o sistema sócio-educativo”. Mas a julgar pela febre de “Superaquários” que deverá assolar as diversas cidades do País nos próximos anos, é provável que em breve “esta terra ainda vai se tornar um imenso Aquarial”.

Fotos disponíveis no Fórum SkyscraperCity, postadas em 3/10/2009.

Interior do Aquário Gigante (Fonte: Fórum SkyscraperCity)

* Escritor e acadêmico de jornalismo

Artigo publicado no jornal Correio do Estado no dia 19 de outubro de 2009.

Anúncios

9 Comentários

  1. Hermano de Melo said,

    oi pai
    acabei de ler seu artigo
    achei muito legal, inclusive as informações e fotos que vc colocou
    um abraço grande
    mano.

    • airton said,

      Prezados Articulistas

      Que tal amadurecer a ideia de também impetrarmos uma ação em face do governo do Estado de Mato Grosso do Sul para barrar a contrução do aquário gigante?!…trata-se de mais uma propaganda eleitoral fora de época bancada com recursos públicos..

      Ou, vamos aceitar passivamente mais um “gigante branco”?!..

      Realmente, jamais foi realizada uma pesquisa de opinião, apenas mascaram as suas verdadeiras intenções…E, o povo, como sempre, é alijado das discussões sobre as políticas públicas que interessam a comunidade..

      Att..

      Airton Farias
      Empresário

  2. Hermano said,

    Oi Mano,
    Grato pelo comentário sobre o artigo. Também acho que ficou legal, mas infelizmente até agora o jornal “Correio do Estado” não o publicou. Uma pena.
    Mas quem sabe amanhã, né?
    Um abraço em todos daí, em você, na Yu e nos netinhos, ok?
    Beijão,
    Hermano Pai.

  3. Rafael de Abreu said,

    Muito bom o texto, eu acho importante a construção de obras assim, mas é claro que tem o interesse forte em jogo. Dinheiro para investir em educação o estado tem, para fazer uma UEMS, também! Arrumar a UFMS – sim, eles podem! Está previsto que tanto governo municipal, estadual e federal podem contribuir com a Universidade. Dinheiro é o de menos, em outros lugares é o de mais, não é? Só que os nossos queridos governantes fazem obras para a TV, ou seja, para aparecer na mídia nacional, ficarem conhecidos, etc. Creio que um aquário chame bem mais a atenção do que uma Universidade – infelizmente. O que me deixa mais indignado é que as obras são “obras de vitrine” e o estado fica carente em “obras sociais”, que faça alguma coisa para o ‘povo’; um aquário desse tipo será que é para a população mesmo? Fico imaginando alguém de um dos bairros periféricos tentando ir até o local, vamos brincar de propaganda do MASTERCARD: Vamos supor que ele leve a esposa e dois filhos, vamos calcular o preço do ônibus quatro pessoas (4×2,50=10+10davolta) 20 reais de ônibus, chegando lá os filhos querem tomar uma coca, quanto será que vai custar? Comer alguma coisa? Os restaurantes com certeza vão vender comida cara… Essa brincadeira ficaria no mínimo uns 50 reais, para um trabalhador que ganha 400 reais fica complicado… A obra não é pra população, e sim, pra quem tem boa roupa. E o mais legal de tudo isso é que jornalismo político aqui no estado se limita a divulgação das obras do estado, então com certeza vamos ver muita “pagação de pau” nos jornais, como sempre! O governo tem dinheiro até para pagar os jornais, quem trabalha aí com as “empresas de assessorias” sabe do que estou falando.

  4. Hermano said,

    Muito bom pai! Mete o pau nesses vagabundos ai mesmo!! só querem saber de construir, ampliar, asfaltar…tanta coisa pra se fazer com 60 milhões(!?).
    Parabéns!
    Bju grande

  5. Flaviano said,

    Meu irmão:
    aquele abraço de muitas saudades.
    Parabéns pelo seu artigo, mais e bem mais pela sua posição contrária á realização dessa esdrúxula obra.
    Decerto tem tudo para sair mesmo do papel essa obra, mais uma a perpetuar as tendências megalomaníacas dos nossos governantes, não é mesmo? Nem sequer se ensaia qualquer movimento contra sua materialização? Pelo menos pra fazer pressão e tentar uma maior mobilização, valeria a pena mover uma ação acionando o MP daí. Ou serão apenas uns poucos abnegados a exemplo de você, que saem a se expor, pregando no deserto? Essa minoria só terá o consolo, mais uma vez, da láurea do sono tranquilo, pelo corajoso exercício das suas convicções; do cetro às suas consciências na luta pela salvaguarda do bem comum sul-mato-grossense.É também notório nessas horas, a desmedida autocensura nos meios de comunicação, reféns das benesses das (in)convenientes verbas governamentais.
    É isso meu irmão, faça sua parte, continue com sua altivez sem esmorecer, ainda que do outro lado haja legiões de Golias.

    Do seu irmão, Flaviano

  6. Conceição Zeppelini said,

    Prezados,
    Na minha leiga opinião concordo e discordo de alguns comentários. Concordo quando existe o ponto de vista “eleitoreiro” de obras perto das votações, e discordo quando sempre só falamos em Universidades, hospitais e outros. Em qualquer lugar do mundo o ensino é prioritário e não no lugar de um aspecto turistico. Quando falamos em Aquario ou qualquer obra turistica nao podemos esquecer que o turismo mantém os estados, o pais e dá origem a novas receitas. Com o turismo, os Estados e cidades são obrigados a oferecer melhorias internas, gerar empregos. O Turismo como um todo, se bem interpretado, sempre gera também estudo. O povo tem que se preparar para receber estrangeiros, principalmente, o que nessita de pessoas com cultura. Um objetivo deve gerar muitos outros. Deveriamos pensar em estruturas turisticas em todos os estados/cidades. Porque ir a Dubai, New York, Disney, se tivermos estrutura adequada em todos os estados para receber novos turistas e do mundo todo. SONHADORA, sim, sei que sou, mas se ainda temos politicos que nao fazem nada, fomos nós os responsáveis por isso. Quem sabe conseguimos melhorar alguma coisa.

    Conceição Zeppelini

  7. André Richer Echeverria (estudante de design de interiores) said,

    aprovo o projeto. Campo Grande tem se destacado por sua arquitetura contemporanea e merece um aquario, ja que nao tem rios e praia.
    os campograndensses querem sim grandes obras e opçoes de lazer.
    creio que a “capital do centro oeste dos grandes eventos” nao tem atrativos grandiosos que atraiam os olhos do pais e surge agora um projeto que valorizará a capital sul-matogrossensse.
    como CG é nova, a tendencia é contruir uma cidade modelo planejada.
    a revista veja destaca entre as 6 capitais do ano”…a moderna Campo Grande…”

    • Jornalismo 2011 UFMS said,

      Ok,André,grato pela sua participação.
      Espero realmente que você tenha razão quanto a importancia e necessidade de construção de tão grandiosa obra que hoje (março de 2013) já está orçada em mais de 100 milhões de reais!
      Forte abraço,
      Hermano melo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: