São Domingos

25/01/2013 at 15:19 (Hermano de Melo) (, , , , , , , , )

Hermano Melo*

São Domingos VI

Depois de muito quiproquó por conta de problemas durante sua construção – embargo por questões ambientais, greve de trabalhadores, incêndio nos alojamentos dos operários – a Usina Hidrelétrica São Domingos, construída na confluência do rio do mesmo nome e o rio Verde, em Água Clara, MS, a 250 km de Campo Grande, será finalmente inaugurada em março próximo. A obra que faz parte do PAC2 (Programa de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal é a que mais recebeu recursos federais no Estado (R$ 236,4 milhões de investimento total de R$ 400 milhões), e vai gerar 48 MW de energia, suficiente para abastecer cidade com 250 mil habitantes. (Adriana Molina/Correio do Estado, 13/01/2013).

São Domingos - Água Clara,MS

Mas os problemas ambientais decorrentes da construção de São Domingos logo surgiram. Foi preciso desapropriar e indenizar 26 propriedades rurais a fim de obter os 2,6 mil hectares do projeto, dos quais 1,9 mil hectares foram transformados no lago da represa e o restante dividido entre a estrutura da usina e Área de Preservação Permanente (APP). Ocorre que a barragem se situa na parte alta do Pantanal sul-mato-grossense e, em consequência, ela afeta todo ecossistema que se encontra rio abaixo, inclusive a reprodução de peixes que sobem o rio no período da piracema. Assim, após o embargo judicial, foram identificadas as espécies que precisavam fazer a subida do rio para a desova, e a Eletrosul construiu uma rampa de acesso ao Rio Verde para a captura de peixes durante a piracema.

Piracema não ideal

 Quanto à greve dos trabalhadores e incêndio no alojamento dos operários, tudo indica que foram atos de protesto semelhantes aos que ocorreram no canteiro de obras em outras usinas hidrelétricas brasileiras, como os que paralisaram os trabalhos em Belo Monte, no Rio Xingu e em Jirau (RO). Embora alguns vissem nessas ações “atos planejados e executados em momentos de negociações trabalhistas, por agentes interessados em obstar a implantação de grandes obras de infraestrutura no País” (Alerta Científico e Ambiental, 24 e 31/03/2011), o mais provável é que esses atos ocorram tanto no País quanto no mundo afora, na medida em que os desastres ambientais se tornem mais evidentes, devido à construção de usinas hidrelétricas em locais impróprios e/ou em tamanhos desmedidos.

Hidrelétrica das Três Gargantas na ChinaNesse sentido, cabe aqui uma reflexão sobre o que aconteceu com a construção da maior hidrelétrica do mundo – a de “Três Gargantas”, no rio Yangtzé, na China, concluída em 2008. Ano passado, o governo chinês reconheceu que, “embora a represa seja fonte de muitos e importantes benefícios ao país – evita, por exemplo, imensa emissão de CO2 – há problemas com a remoção de moradores, proteção do meio-ambiente e prevenção de catástrofes ecológicas”. Ou seja, embora usinas hidrelétricas como São Domingos forneçam energia limpa e promovam ganhos econômicos nos municípios onde se instalam, é preciso ficar de olho nos impactos humanos e ecológicos negativos que possam causar. Talvez seja hora de pensar em energias alternativas como a eólica e a solar com mais urgência.

Complexo Eólico na Bahia

Complexo Eólico na Bahia

*Jornalista e Escritor

** Artigo publicado no jornal Correio do Estado em 25/01/2013.

Link Permanente Deixe um comentário

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 375 outros seguidores